MEU AMIGO DE FÉ E IRMÃO CAMARADA, PASQUAL BARRETTI, AGORA TAMBÉM É “PRATA DA NOSSA CASA”!

Bem ao estilo de uma das muitas músicas lindas cantadas pelo Rei Roberto Carlos, durante a bonita solenidade de entrega da nova “CERTIDÃO DE NASCIMENTO” a um ilustre cidadão, no auditório da Câmara Municipal, com muita satisfação, quero contar a você prezado leitor, que o “meu amigo de Fé e irmão camarada” Professor Doutor Pasqual Barretti, a partir da última sexta-feira (13/03), também é “CIDADÃO BOTUCATUENSE”. Eta “nóis”!

Como Deus é bondoso, ELE faz questão de lembrar sempre dos seus filhos diferenciados! Demorou um pouco, mas a minha estimada amiga, professora Alessandra Lucchesi, uma das preciosidades da ‘Casa de Leis’ botucatuense, teve a brilhante ideia de reconhecer este ser maravilhoso, cujas qualidades ultrapassam todos os limites do bem viver, em especial, no mundo da solidariedade, e outorgar-lhe o título de “CIDADÃO BOTUCATUENSE”.

Que noite especial a nós, seus amigos, foi oferecida naquela data. Sentimos muito prazer em acompanhar a homenagem tão justa prestada a este filho que é tudo de bom no Hospital das Clínicas, na Faculdade de Medicina, FAMESP, Hemodiálise, nas nossas Casas de Apoio e, porque não dizer, na nossa Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, certamente, a sua outra “morada” nos próximos anos!

A solenidade teve um valor preciosíssimo, a começar pela formação da mesa de frente, composta na sua totalidade por pessoas ligadas diretamente à nossa querida “faculdade”: Ednei Lázaro da Costa Carreira, digno Presidente da Casa, um unespiano pioneiro da saudosa FCMBB; Professora Maria Cristina Pereira Lima, a queridíssima Dra Kika, Diretora da FMB; dois ilustres amigos da UNESP, o Prefeito Municipal Mario Pardini, que é “nóis” em tudo na cidade e o Delegado Seccional Lourenço Talamonte Neto, outro parceiro forte no nosso dia a dia e, também o homenageado, que, desde que chegou a Botucatu, vindo da progressista Itapetininga, não fez outra coisa a não ser contribuir com o crescimento e o desenvolvimento da nossa Instituição. A ”plateia” esteve preenchida de pessoas ilustres, amigas do homenageado. Como servidor antigo, confesso que senti um orgulho enorme em ver todos os comandantes das Unidades Universitárias do Campus de Botucatu da UNESP (Professores, Celso Antônio Rodrigues e Cezinande de Meira, Diretor e vice da FMVZ; César Martins e Luiz Fernando Polin de Almeida, Diretor e vice do Instituto de Biociência; Carlos Frederico Wilcken e Dirceu Maximino Fernandes, Diretor e vice da FCA; a vice-diretora da FMB, Professora Jacquelini Teixeira Caramori; Antônio Rugolo Junior e Trajano Sardemberg, Diretor e vice, respectivamente da FAMESP e o Superintendente do HC Professor André Luiz Balbi), prestigiando tão nobre evento – por sinal, esta é a maior prova do que significa uma verdadeira união de pessoas em prol da grandeza do nosso campus da UNESP. Também tivemos a presença de muitos familiares do novo “botucudo”, inclusive a sua esposa, a estimada Professora Ana Barretti – muitíssimo bem intitulada pela vereadora Alessandra Lucchesi como “AMANTE DA EDUCAÇÃO”; as riquezas que fazem toda a diferença em sua vida (a senhora Nadir e o professor Valério, seus paizões de coração) e também os filhos, Junior e Neto; alguns Secretários do governo municipal, entre os quais, meus amigos Junot de Lara Carvalho, André Spadaro e Moacir Paixão, e um “montão” de amigos especiais dessa figura ímpar da comunidade unespiana, lá estiveram para abraçar o moço de Itapetininga, que teve uma passagem bonita por Bofete, num momento muitíssimo forte da política local (na época o Partido dos Trabalhadores do Doutor Pinho era a “bola da vez”, por lá) e que hoje virou filho aqui da terrinha.

Como não poderia ser diferente, até porque, uma das maiores qualidades deste talento profissional, seja como médico ou gestor, é a ORATÓRIA; ele, simplesmente “arrebentou” no seu discurso, de pouco mais de quarenta minutos. Falou da vinda a Botucatu em 1976, época em que, segundo ele, na nossa cidade só não fechava restaurantes na hora do almoço; agradeceu a família por toda cumplicidade ao longo desse tempo todo, evidentemente, aproveitou o momento para agradecer a sua “mãezona” Leda por todo carinho a ele dispensado e, principalmente para flertar a sua esposa Ana Barretti, com quem vive há mais de trinta e tantos anos (com certeza, os beijinhos carinhosos vieram depois da solenidade); contou “causos e causos” do nosso querido município vizinho (Bofete), terra abençoada que nos ofertou dois grandes prefeitos (o inesquecível Luiz Aparecido “LICO” da Silveira e o pai do meu irmãozinho João Cury Neto, Jamil Cury); não poupou elogios ao seu “irmão mais velho”, o estimado Doutor Ubirajara “BIRA” Teixeira e mais alguns companheiros de lutas e lutas; citou muitas coisas sobre a sua “casinha abençoada” de nome HEMODIÁLISE, hoje um dos maiores centros dessa especialidade em todo o país; falou muito e muito da implantação do Sistema Único de Saúde no Brasil; enfocou muito o lado HUMANIZAÇÃO, ressaltando inclusive, o nome de um dos maiores mestres dessa peculiaridade, o meu amigo Professor Doutor Eder Trezza; mostrou orgulho enorme em falar das Casas de Apoio, uma “joia rara” que teve o seu “dedo” na sua implantação; não deixou de fazer agradecimentos sinceros aos profissionais com quem conviveu harmoniosamente nesses últimos tempos, entre eles, o Diretor Administrativo da sua gestão na FMB, Carlos Wincler, o seu motorista, Pedro Eugênio de Paula, a sua secretária Rose e muitos outros; utilizou aquele seu bom humor para dizer que a FAMESP é uma Organização Social e não Filantrópica; segundo ele, Filantropia é o que faço, citou as campanhas que realizo anualmente, junto com meu amigo Vanderlei dos Santos, lembrando, inclusive dos fatídicos 1088 cobertores que “arrecadamos” em uma delas e, por fim, em forma de matar saudades, se lembrou do amigo Doutor Adalberto Andrade Lopes, seu colega de, tempos idos, no aconchegante município de Bofete, e da eterna secretária Maria Cecilia Alves Peres – a sempre amada e inesquecível “Ciça” – que hoje moram no céu.

Enfim, minha gente, assim é a vida! Neste Brasil Brasileiro, onde RECONHECIMENTO é algo praticamente em extinção, nem tudo está perdido. Ainda existem pessoas públicas que são eleitas para representar a nossa gente e o fazem com grandeza. Este ato da vereadora Alessandra Lucchesi é o maior exemplo do que tenho em mente. O título ofertado ao mestre Pasqual Barretti, representa muito bem o comprometimento que esta jovem mulher pública tem com os seus munícipes.

Meu “puxãozinho de orelha” nos amigos vereadores, integrantes da Câmara Municipal: queridos e queridas existe aqui na terrinha muita gente que faz por merecer o “abraço” do Poder Legislativo, ou seja, um “uta” igualzinho a este que foi ofertado ao mestre Pasqual!

Parabéns, nobre vereadora Alessandra Lucchesi (e também aos seus colegas que assinaram essa propositura) por tão valiosa homenagem, aliás, um reconhecimento feito a um cidadão que desde que escolheu Botucatu como sua nova moradia, não fez outra coisa, a não ser trabalhar, trabalhar e trabalhar; por sinal, numa área que damos graças a Deus, por estarmos “nadando de braçada”. Ou na nossa hospitaleira e solidária “CIDADE DOS BONS ARES E DAS BOAS ESCOLAS” não temos uma prestação de serviços na saúde de altíssima qualidade?

Meu querido “amigo de fé e irmão camarada” Professor Doutor Pasqual Barretti, parabéns, parabéns e parabéns, pela justíssima homenagem recebida. Você sempre foi o cara; te acompanho, há mais de duas décadas e, nesse tempo todo, aprendi com você, entre outras coisas, a GOSTAR DE GENTE, dai, eu adorar viver para o próximo! Sem dúvida alguma, sua empatia foi o maior prêmio que Deus colocou no seu colo. Obrigado por ser meu amigo “porcorense” Pasqual Barretti. Que venham outros desafios! Que venha a Reitoria da UNESP!

Rubens de Almeida – Alemão/alemao.famesp@gmail.com