Prefeitura pretende devolver Aeroporto de Botucatu para o Estado

Arquivo Acontece Botucatu

O hoje Aeroporto Municipal Tancredo Neves pode ser devolvido para o estado. A declaração foi dada nesta sexta-feira, 07, pelo Prefeito Municipal Mário Pardini, durante entrevista ao Jornal da Clube Gente, na Rádio Clube FM.

O assunto surgiu após uma pergunta de ouvinte sobre o Aeroporto, citando (o ouvinte) que há alguns anos o então Prefeito João Cury prometeu investimentos, projeto que não saiu do papel.

O aeroporto foi municipalizado em 2013 durante a gestão João Cury, mas até hoje não houve procura por empresas interessadas em operar em Botucatu. Hoje o Aeroporto é utilizado pela Embraer e para pousos e decolagens de voos particulares.

“Com certeza o João gostaria que recebêssemos os voos comerciais, que talvez esse aeroporto fosse privatizado, mas essa é uma questão que vai muito além da vontade do Prefeito. O João trabalhou muito nessa questão e tem muito mérito em relação a isso. Quando assumi houve conversas nesse sentido, de uma empresa que estava montando um projeto para que pudesse estimular a privatização e a atração de voos comerciais. Este trabalho foi entregue, algumas conversas aconteceram, mas até hoje não houve o interesse das empresas que prestam os serviços de transporte aéreo. Não é o Prefeito que traz uma TAM ou Avianca ou qualquer outra empresa para operar no município, mas são as empresas que identificam esse nicho, elas fazem estudos para isso e elas se organizam para atuarem em outros aeroportos. Vai chegar a hora de Botucatu, a cidade está crescendo muito, as coisas estão acontecendo, Botucatu ainda será a bola da vez. Mas hoje a atração de voos comerciais ainda é limitada”, disse Pardini em parte da sua fala ao apresentador Osmar do Nascimento.

Na sequência Pardini disse que já houve conversa com o Governo do Estado sobre devolução do Aeroporto para o estado. Segundo o Prefeito, por ser municipal, o Aeroporto de Botucatu tem limitações de investimentos.

“Hoje é um Aeroporto Municipal, fica mais complicado de entrar no portfólio de privatizações do Governo Estadual. Se fosse do Estado, tem lá aeroportos que possuem um potencial comercial maior, mas aí ele coloca dentro do pacote Botucatu e a empresa tem que operar, por exemplo em uma cidade maior, mas também em Botucatu. Enquanto for municipal, aí tem a dificuldade de fazer a privatização. Então isso está sendo conversado. Acontece que também nesse período a partir de 2015, o país passou por uma forte recessão e aeroportos importantes foram fechados e houve uma limitação de voos, o que dificultou muito”, concluiu Pardini sobre o assunto.

Em 2013 o aeroporto foi incluído na lista de 19 aeroportos paulistas contemplados no PIL (Programa de Investimentos em Logística: Aeroportos), que visava reformar e ampliar 270 aeroportos de cidades pequenas e médias em todo o país.

Na oportunidade o projeto de modernização do aeroporto de Botucatu contemplava, entre outras melhorias, reforço de pista para comportar pousos e decolagens de aeronaves de grande porte, área de taxiamento e a construção de um novo terminal de passageiros.

Em 2014 foi realizado o serviço de informatização dos registros de pousos e decolagens. Feito de forma manual no passado, ele foi substituído por uma planilha digital, em que o piloto, ao chegar ao aeroporto, realiza o registro de seu voo.