Prefeitura não renova contrato com empresa e Botucatu está sem radar móvel

A cidade de Botucatu está sem radares em operação desde o dia 25 de dezembro. A informação foi confirmada pelo Acontece Botucatu junto ao Prefeito Mário Pardini.

O contrato com a empresa LT Comercial venceu e não será renovado pela atual administração. A licitação para o uso de 5 aparelhos móveis de radar foi realizada no fim de 2016, ainda sob a gestão de João Cury.

Por ano, a empresa ofertou 5 aparelhos móveis que eram distribuídos em pontos estratégicos da cidade, evitando o excesso de velocidade. O contratou custou aos cofres do município R$ 975.600,00 na oportunidade.

Cada aparelho teve o custo de R$ 16.260 por mês de uso. Os aparelhos operavam todos os dias da semana, incluindo sábados, domingos e feriados. Procurado por nossa reportagem, o Prefeito Mário Pardini explicou que a Prefeitura vai realizar estudos para a implantação de radares fixos em pontos cruciais da cidade.

“Nós optamos por não renovar o contrato com os radares móveis, porque temos a meta de realizar estudos para a instalação de radares fixos em pontos críticos da cidade. Nosso objetivo não é a arrecadação com multas, mas sim, disciplinar o trânsito para dar mais segurança aos nossos motoristas”, disse Pardini ao Acontece Botucatu.

As velocidades disciplinadas pelos aparelhos variavam de acordo com a via e atendiam a uma delimitação da Organização Mundial da Saúde para reduzir acidentes. As vias com grande fluxo de pedestres, eram limitadas a 40 km/h, sendo que nas demais o aparelho operava limitando a velocidade a 50km/h.

Estatisticamente falando, nesse período a redução de mortes foi de 34 para 10. Essa comparação compreende janeiro a novembro de 2016 e 2017.