Prefeitura cogita desapropriar prédio do Banco do Brasil, caso fechamento de agências não seja revisto

 

Foto arquivo Prefeitura: Pardini teria cogitado desapropriar prédio de agência do BB no Bosque

Uma reunião muito dura. Assim pode-se resumir o encontro entre o Prefeito de Botucatu Mário Pardini e o Superintendente Estadual do Banco do Brasil Marcelo Palhano. A atual administração tenta demover o banco da decisão de fechar as duas agências da Vila dos Lavradores, ato anunciado no final de 2016 e com data prevista para o próximo dia 18.

O encontro ocorreu na tarde desta segunda-feira, dia 06, no gabinete do Prefeito e, além do Superintendente, contou com a presença de mais 5 gerentes da instituição e três secretários da atual administração. Pardini pediu que a decisão seja revista, pelo menos para manter uma das agências, no caso a da Major Matheus.

Segundo informações obtidas pelo Acontece Botucatu, o Banco do Brasil se manteve irredutível e disse que não há como reverter o curso desse processo. Nesse momento Pardini colocou uma situação que jogou um pouco de tensão na conversa, a de estudar a desapropriação do prédio localizado na Praça do Bosque, onde funciona uma das agências do centro, da antiga Caixa Estadual.

Foto: Adelina Guimarães

Contrariado, Pardini teria alegado que precisa do espaço para economizar com os alugueis da Prefeitura. A vontade do Prefeito aparece diante da pouca flexibilidade do Banco do Brasil em rever o fechamento das agências.

Ainda de acordo com informações obtidas pelo Acontece Botucatu, Marcelo Palhano teria dito que seria impossível a mudança, pois o BB já comunicou até a Bolsa de Valores. O Jurídico do Município deve estudar o caso da desapropriação do prédio onde também já funcionou o Prefeitura em décadas passadas. Há o agravante de ser um prédio da União.

Pardini ainda teria dito na reunião que a decisão do Banco não se importou com a população e que a cidade não foi ouvida. Teria colocado que levar 5 mil clientes da Vila dos Lavradores para o centro iria impactar negativamente nos acessos ao centro, principalmente na Rua Amando, via que já está saturada há anos.

Apesar da tensa reunião, as partes devem voltar a conversar. Mas apesar do esforço de Mário Pardini, é difícil que o Banco do Brasil reveja sua posição de fechar as agências localizadas na Brás de Assis e Major Matheus.

Reorganização do Banco do Brasil

Agência da Major Matheus (Foto) e Brás de Assis irão fechar as portas no dia 18/02

O Banco do Brasil anunciou no dia 21 de novembro que 402 agências serão fechadas, 379 serão transformadas em postos de atendimento e 31 superintendências em diversos municípios serão encerradas.

Com a reorganização, 222 agências serão fechadas apenas no Estado de São Paulo, sendo as duas agências do “Bairro”, na Major Matheus e Brás de Assis serão fechadas.

Ainda na região, em São Manuel, a agência que fica na Praça 15 de Novembro, na área central, também deixará de funcionar. O Banco do Brasil irá manter as duas agências existentes na Praça Emílio Pedutti em Botucatu.