Parque Tecnológico Botucatu comemora 3 anos; faturamento de empresas soma R$ 15 milhões

O filósofo inglês Francis Bacon (1561-1626) disse um dia que “o tempo é o maior inovador”. A inspiradora frase se aplica à curta, mas já pujante história que tem sido escrita pelo Parque Tecnológico Botucatu, que comemora 3 anos de funcionamento no próximo dia 14 de abril [mesma data de aniversário da Cidade].

O início da sua implantação se deu em 2009, quando o projeto recebeu o pré-credenciada pelo Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec). De lá, até a inauguração, no ano de 2015, um imenso esforço conjunto foi feito para viabilizar este sonho, presente em pouquíssimas cidades do Estado, como São José dos Campos, Campinas e Sorocaba.

Mas ainda faltava fazer com que a própria população entendesse e acreditasse em todo o potencial que um Parque Tecnológico traria à Cidade dos “Bons Ares, Boas Escolas e Boas Empresas”. Neste sentido, desde maio de 2017, com nova diretoria, apoio do Poder Público e metas mais ambiciosas, o Parque Tecnológico passou a se desenvolver mais rapidamente. Atualmente, o empreendimento já conta com nove empresas operando em seu Núcleo Administrativo, com mais de 70 pessoas trabalhando dentro dele e uma empresa iniciando a construção de sua unidade nos terrenos do Parque Tecnológico.

Existem outras dez empresas, e seus mais de 30 funcionários, pertencentes às duas incubadoras (ambientes que abrigam empresas nascentes) da Cidade e que hoje também estão sob a gestão do Parque Tecnológico. Sem falar nas empresas que estão em fase bastante avançada de contratação/implantação e que, com certeza, irão mais que dobrar o número de pessoas envolvidas gerando mais empregos e renda para Botucatu.

Para se ter ideia, todas as empresas vinculadas ao Parque de Botucatu já geram anualmente um faturamento da ordem de R$ 15 milhões. Dentro das boas perspectivas de mercado e novos projetos em tratativas, a previsão é que, muito em breve, este volume salte para cerca de R$ 20 milhões e quase 300 pessoas trabalhando diretamente no Parque Tecnológico.

“Cumprimos com todas as obrigações administrativas, burocráticas e legais para o bom funcionamento do Parque, instalamos novos laboratórios de uso compartilhado, repactuamos e buscamos negócios com novas empresas, estimulamos a realização de mais eventos, encontros e treinamentos. Enfim, estamos nos esforçando para que o Parque Tecnológico seja reconhecido pela sua vocação que é a de proporcionar condições, de forma sustentável, para que a cidade e região se desenvolva econômica e socialmente, fortalecendo seu ecossistema inovador composto pelo governo municipal, pelas universidades, centros de pesquisas, instituições, empresas em operação e startups de base tecnológica”, argumenta Carlos Costa, diretor executivo do Parque Tecnológico Botucatu.

“Levando em consideração o tempo médio de maturação deste tipo de empreendimento, considero que estamos atingindo nossas metas, contudo temos muito ainda o que fazer pela frente. Novos negócios a prospectar e novos projetos a serem tirados do papel. O importante é que temos motivos para comemorar nossos 3 anos de operação, convictos que estamos no caminho certo para concluirmos a consolidação do Parque Tecnológico Botucatu”, complementa Costa.

Sobre o Parque Tecnológico

O Parque Tecnológico Botucatu conta com seis empresas em seu Núcleo Administrativo: BPI – biologia molecular; Omics – terapia celular regenerativa; Solutudo – tecnologia da informação e comunicação; Água da Mata – fertilizantes orgânicos; Bird View – estratégias em biodefensivos usando drones; e Nutrir Orgânicos – soluções para agricultura orgânica.

No seu Espaço Coworking, dentro do seu Núcleo, abriga mais três empresas: Terra Céu – Tecnologias Sociais; NIX42 – Software para Aplicativos; e rbTec – Desenvolvimento de Software.

Este ano, o Parque Tecnológico revisou o edital de seleção de projetos para a concessão de áreas de terrenos, disponibilizando pouco mais de 23.000m², divididos em 19 lotes. Três deles foram recentemente concedidos à Mega Whip – Indústria e Comércio de Chicotes Elétricos, primeira empresa autorizada a construir uma unidade fabril dentro do Parque Tecnológico.

Outra área de 33.000m² está reservada à construção de um Centro Empresarial de 6.000 m² e uma segunda área, de 219 mil m², reservada para expansão.

Parque Tecnológico Botucatu faz a gestão de duas incubadoras da Cidade: Incubadora Botucatu [Vila São Benedito] e da Prospecta [campus da Fazenda Lageado – FCA/Unesp]. São ambientes que abrigam empresas nascentes para proporcionar elementos básicos à viabilização, operacionalização e desenvolvimento de novos produtos, processos e serviços com vistas ao desenvolvimento econômico e social.

Inaugurado em 14 de abril de 2015 e credenciado no Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec) em 2016, o Parque Tecnológico Botucatu é vocacionado ao desenvolvimento de novos produtos, processos e serviços nas áreas de bioprocessos, biotecnologia, meio ambiente, produtos florestais, produtos naturais da fauna e da flora, tecnologias sociais, logística, tecnologia da informação e comunicação, entre outras.