Pardini ameaça romper contrato com a empresa responsável pela reconstrução da Rafael Sampaio

O Prefeito de Botucatu, Mário Pardini disse nesta quinta-feira, dia 24, que romperá o contrato com a empresa Alcalá, Engenharia, responsável pela reconstrução da ponte na Rua Rafael Sampaio. A declaração foi dada em entrevista à Rádio Criativa FM.

Segundo Pardini, a pressão da administração é pela chegada de aço suficiente para a realização da concretagem da via. O prazo dado pelo Prefeito finda no próximo domingo, dia 27.

“Acabou a tolerância com a empresa. A gente aqui dia 27 chega no final do contrato. Eu conversei com o dono da empresa e se não chegar aço na ponte para fazer a armação de aço e concretar a Laje até esse dia a gente vai rescindir contrato. Temos tentado buscar composição com a empresa, temos tentado compreender as dificuldades ajudar a empresa, mas a empresa infelizmente tem demonstrado pouca vontade em concluir essa obra. Então vou buscar uma outra solução. Então se até o dia 27 o aço não chegar, eu vou romper esse contrato”. disse Pardini.

De acordo com Pardini, haverá um prazo de 5 dias para notificação e depois recurso. Após esse período a Prefeitura retomará a obra, provavelmente com com mão de obro própria.

“Vamos buscar outra solução. Falta tão pouco para concluir essa obra e essa empresa está penalizando a cidade de Botucatu. Foram 41 pontes que rodaram, entregamos 40 e não será essa ponte que vai nos atrapalhar em cumprir um compromisso com a população de Botucatu”, disse Pardini em parte de sua entrevista.

A entrega do dispositivo vem sendo postergada desde o ano passado. A última previsão colocava como limite o primeiro trimestre de 2021. Segundo Pardini, caso haja quebra de contrato com a empresa, a Prefeitura assumiria a conclusão com mão de obra própria.

“Faz mais de 60 dias que a empresa vem com uma operação tartaruga na obra. Essa ponte já deveria ter sido entregue há dois ou três meses, tinha condições de entregar. O contrato efetivamente se encerra no dia 27 de junho. A empresa pediu um aditivo e eu disse que se não iniciar a concretagem da laje eu não daria o aditivo e romperia o contrato e é isso que a gente vai fazer”, finalizou.

O Acontece enviou um e-mail para a empresa responsável pelas obras pedindo um posicionamento sobre o assunto e aguarda resposta.

Em março de 2020 o município assinou um termo de convênio com a Defesa Civil do estado para a reconstrução. O valor da transferência era de aproximadamente R$ 1,5 milhão, valor destinado para a recuperação da ponte. O valor licitado com a empresa ficou em R$ 1.174.040,81, segundo levantou o Acontece Botucatu.

Essa é uma das principais ligações entre a região Central a bairros como Boa Vista, Vila Mariana e Bairro Alto. A ponte foi totalmente destruída pela força da água na chuva de 10 de fevereiro.