MSL ocupa área particular no Jardim Riviera, ao lado do Fórum

 

Cerca de 30 famílias estão no local.

A Policia Militar de Botucatu registrou nas primeiras horas da manhã deste sábado, uma ocupação de propriedade particular na região do Jardim Riviera, mais precisamente, na Avenida Venezuela, na região do Fórum de Botucatu. A ação foi promovida pelo Movimento Social da Luta (MSL), que apesar de algumas semelhanças, segundo seus organizadores e líderes, não possui ligação com o Movimento dos Sem Terra (MST). A ação foi pacífica e acompanhada de perto pelas autoridades.

A área ocupada e as lideranças do movimento já inciaram o cadastro das famílias interessadas em acompanhar o grupo. “Estamos inicialmente organizando a demanda de famílias que estão nos procurando. Até o momento já temos 35 famílias reunidas, sendo que todos são de Botucatu, moradores do próprio Jardim Riviera, de Rubião Júnior e adjacências”, comentou Odenil Gonçalves. O grupo é o mesmo que ocupou uma área pertencente à União em Rubião Júnior em março de 2016.

Presente no local no início da manhã, a Polícia Militar apenas acompanhou a ação pacífica dos membros do MSL e não interviu na ação. Uma pessoa se apresentou no local e afirmou ser o proprietário da área, que possui cerca de três alqueires. Orientado pelos oficiais, o mesmo afirmou que vai reunir todos os documentos necessários e dar entrada na Justiça com um pedido de reintegração de posse. Um Boletim de Ocorrências foi elaborado para seu resguardo.

Líder do MSL explica que luta pelos mais necessitados.

Segundo o líder do movimento, o local ocupado está há mais de 20 anos sem ser utilizado e por isso “não estaria cumprindo com sua razão social, sendo apenas um ponto de especulação imobiliária”. O objetivo do MSL é a inclusão dessas famílias em programas sociais do Governo Federal. “Nossa exigência é por direitos aos que mais necessitam. Estamos acompanhando os últimos empreendimentos habitacionais e os contemplados são sempre pessoas com renda superior às dessas famílias. Nossa luta é pelas pessoas de baixa renda”, afirmou Odenil.

 

O mesmo movimento possui ainda uma outra área ocupada em Botucatu. Há mais de um ano, pouco mais de 40 famílias estão acampadas em uma área da União em uma zona rural existente entre Rubião Júnior e o parque fabril da Caio Induscar. Até o momento, a União não efetivou seu pedido de reintegração de posse. O local é bastante afastado e nunca foi utilizado para nenhum fim.

Fotos: Acontece Botucatu