Indústrias fecham 2,6 mil vagas no 1º semestre. Botucatu tem a pior média do interior, aponta CIESP

 

Divulgação Internet

O nível de emprego industrial na região Oeste do estado fechou o primeiro semestre de 2017 no vermelho. Entre janeiro e junho, o setor perdeu 2,6 mil vagas em Osasco e cidades vizinhas. Desse total, 650 foram eliminadas no mês passado. E contribuíram  para que saldo também ficasse negativo no balanço dos últimos 12 meses, com 5,1 mil postos eliminados. No interior de São Paulo, Botucatu foi o destaque negativo.

Os dados são de pesquisa divulgada nesta sexta-feira, 14, pelo Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo).  Ainda de acordo com o levantamento, o resultado de junho foi influenciado principalmente pelos cortes promovidos nos setores de Produtos Alimentícios(queda de 3,43% no nível de emprego); Impressão e Reprodução de Gravações (-3,07%) ; Produtos Químicos (-0,70%) e Produtos de Borracha e de Material Plástico (-1,53%).

O recuou foi de 1,01% em relação a maio, o maior registrado, para esse período do ano, desde que a série foi iniciada, em 2006. Até então, o recorde era de – 0,90%, registrado em junho dos anos de 2014 e 2015. Já no primeiro semestre desse ano, a retração foi a segunda maior, perdendo apenas para abril, quando a queda foi de 1,94%. Ainda nesse período, o único mês em que o nível de emprego foi positivo, na região, foi em janeiro, com alta de 0,06%.

Em todo o Estado, a indústria paulista fechou o mês de junho com demissão de 9,5 mil trabalhadores, queda de 0,44% na comparação com o mês anterior. Já no 1º semestre, ao contrário da região Oeste, o resultado foi positivo em 10 mil novas vagas de trabalho, o melhor resultado desde 2013. Entre as 36 diretorias regionais, 17 que apontaram altas, com destaque para Jaú (1,13%),; São Caetano do Sul (0,59%)e Limeira. Já as maiores quedas foram registradas em Botucatu (-4,34%), Santos (-1,65%) e Matão (-1,49%).