Imobiliárias auxiliarão Prefeitura no combate à dengue em Botucatu

Na tarde desta quarta-feira, 08, o Prefeito Mario Pardini se reuniu com representantes de imobiliárias do Município para debater medidas de combate ao mosquito da dengue.
O encontro no gabinete do Prefeito teve como foco a limpeza de imóveis, em especial terrenos baldios de propriedade das imobiliárias ou por elas agenciados.

“Botucatu tem hoje aproximadamente 20 mil terrenos baldios, e uma parte significativa tem essas empresas como responsáveis. Pedimos a colaboração deles nessa luta contra a dengue que a Prefeitura e a população já começaram a enfrentar”, afirmou o Prefeito Pardini.

O decreto emitido pelo Executivo no último dia 02 de janeiro, notifica todos os moradores do Município a limparem seus imóveis no prazo de 10 dias. Após este período, a Prefeitura poderá realizar a limpeza desses imóveis e multar os proprietários.

De acordo com o Código de Obras do Município, instituído pela Lei nº2.482, os proprietários que não realizarem a limpeza de seus terrenos poderão ser autuados com multa de R$ 5,50 por metro quadrado. Além disso, será cobrado o valor do serviço de limpeza, calculado em R$ 5,00 por metro quadrado. A soma dos dois valores equivale a R$ 2.625,00 para um lote padrão de 250 metros quadrados.

A mesma lei esclarece também, em seu artigo 59, que os proprietários dos imóveis são responsáveis pela construção dos respectivos passeios (calçadas), além de mantê-los em perfeito estado de conservação.

Prefeitura fará a sua parte

A Prefeitura de Botucatu aumentou em 10 vezes a cobertura de capina e roçada via contrato com empresas terceirizadas do Município para 2020. O novo contrato prevê, em 2020, que 2,5 milhões de metros quadrados de guias, sarjetas e áreas verdes de propriedade da Prefeitura sejam limpos mensalmente.

Um gabinete de crise foi criado pelo Prefeito Mário Pardini, envolvendo diversos setores da Administração Municipal para o desencadeamento de ações, como Infraestrutura, Zeladoria, Comunicação e Defesa Civil.

Segundo levantamento de janeiro da Vigilância Ambiental em Saúde da Cidade, a cada 100 imóveis, 3,5 possuem larvas do mosquito da dengue, número este que merece atenção, em especial da população. O levantamento apontou que 85% dos criadouros do mosquito estão dentro das casas em calhas, vasos de planta, ralos, e outros objetos que dependem única e exclusivamente da ação do próprio morador.