Homem que atirou contra cachorro diz que está sendo ameaçado de morte

Morador de Rubião Júnior, de 32 anos, relata ameaças após incidente com cachorro que invadiu a casa

O homem de 32 anos que atirou e matou um cachorro da raça Rottweiler em Botucatu procurou o Acontece Botucatu para relatar que está sofrendo ameaças de morte por conta do ocorrido. O fato aconteceu na último dia 14, no Jardim Nova Esperança, em Rubião Júnior.

“Esse cachorro vivia escapando e jamais eu queria matá-lo. Eu abaixei o portão de casa para ele não entrar na minha casa, isso está claro nas imagens. Quando eu entrei, o cachorro entrou e o outro que ele estava perseguindo se escondeu debaixo do carro, aí eu gritei para ele sair e ele partiu para cima de mim”, relata o homem, que pediu para não ser identificado por conta das ameaças que vem sofrendo.

O homem disse ainda que não estava armado e quando o cão avançou, ele gritou para a esposa pegar a arma, que estava em casa. “Ele (o cão) veio para cima de mim e do meu filho de 7 anos que é autista. Infelizmente eu tive que efetuar os disparos contra o cachorro e ele não parava de atacar. A perícia foi feita e viu que ele deu voltas, sangrando, para me atacar, mesmo baleado”, contou.

O homem relata que pela repercussão do caso, ele passou a ser ameaçado de morte e teme pela vida. “Estou pedindo uma medida protetiva. Meu filho não pode sair de casa e eu não sei o que eu faço mais. Já fiquei sabendo que pessoas estavam planejando me linchar”, disse ele, que registrou um boletim de ocorrência por ameaça.

Relembre

Polícia Civil e Guarda Municipal registraram na segunda-feira, dia 14, um caso que envolve disparos de arma de fogo e morte de um cachorro que teria invadido uma residência em Botucatu. As imagens das câmeras de segurança da casa rodaram as redes sociais.

Segundo informações, um cão da raça Rottweiler foi baleado após invadir a residência do vizinho. O boletim cita um homem de 32 anos, que informou a polícia que o animal invadiu seu quintal correndo atrás de um outro cachorro, de menor porte.

O dono da arma de fogo disse que atirou após o Rottweiler atacar seu filho. O cachorro de menor porte também foi atingido, porém, não morreu. No total foram 7 disparos.

O homem entregou para a polícia uma pistola da marca Taurus, calibre 380, com 7 cartuchos intactos, além da documentação e carteira de um clube de tiro. Segundo a Polícia Civil, a arma é legalizada e o proprietário foi liberado.

A tutora disse que seu cão era dócil e que temeu que os disparos atingissem crianças. A Polícia dará sequência no fato. Veja abaixo imagens que circularam as redes sociais.