Governo Federal regulariza repasse e parte restante do Cachoeirinha deve ser entregue até maio

Os residenciais Cachoeirinha 3 e 4 devem ser entregues aos contemplados entre os meses de março e maio deste ano. A previsão era de que isso ocorresse até o final ano passado, mas atrasos nos repasses das verbas por parte do Governo Federal fizeram com que a construtora responsável paralisasse as obras.

Os repasses foram regularizados neste início do ano e as obras já foram retomadas para a finalização do serviço. As obras das escolas do Caimã, Santa Maria e Cachoeirinha, em parceria com a Construtora Qualyfast, também foram reiniciadas após a regularização dos repasses.

A informação sobre o prazo para a entrega dos blocos restantes foi dada pelo Prefeito de Botucatu Mário Pardini, durante entrevista à Rádio Criativa FM.

“A construtora já está finalizando as obras. Quanto mais tempo ela fica no município, mais ela aumenta seu custo fixo. O Cachoeirinha 4 já está com o piso totalmente instalado, o piso externo, intertravado e os apartamentos dentro já estão prontos. Então o Cachoeirinha 4 deve ser entregue entre março e abril”, disse Pardini.

Já o Cachoeirinha 3 deverá ser entregue entre abril e maio, totalizando no semestre 492 apartamentos. A Escola de tempo integral da região também será entregue praticamente no mesmo período.

“E junto com os apartamentos a Escola de Tempo Integral nessa região já vai estar concluída e vai ser muito útil para essa região leste da nossa cidade. Essa escola vai ajudar muito, para que a gente possa melhorar a performance da educação básica daquela região, dando atenção para essas crianças em tempo integral, como alimentação nutricional adequada, ocupando o tempo dessas crianças nessa região”, concluiu.

Atraso do Governo Federal

Segundo apurou o Acontece Botucatu, os atrasos do Governo Federal nos repasses de verba atrasaram o cronograma de entrega. Sem esses repasses, a construtora Qualyfast teve problemas de execução na fase final das obras.

Até o final do ano passado eram aproximadamente R$ 6 milhões em atraso, sendo esse valor dividido entre os Cachoeirinha 3 e 4, empreendimentos que ainda não foram entregues. O assunto foi monitorado pelo governo municipal junto com Superintendência da Caixa.

Blocos já ocupados

Os residenciais 1 e 2 foram entregues no segundo semestre de 2019 e já estão ocupados. No total são 992 unidades que foram financiadas pelo programa Minha Casa Minha Vida do Governo Federal.

O projeto de Botucatu foi considerado pelo Ministério das Cidades em 2018 como um dos principais do país empreendimentos habitacionais do país. No total são 992 apartamentos.

Os apartamentos do empreendimento possuem 56 m² cada, com varanda e o condomínio terá ainda quadra poliesportiva, playground infantil, guarita, vagas para estacionamento de veículos, entre outras instalações.