Família é atacada por abelhas africanizadas em área verde do Residencial Lívia 2 em Botucatu

Cidade
Família é atacada por abelhas africanizadas em área verde do Residencial Lívia 2 em Botucatu 02 fevereiro 2022

Uma família foi atacada por um enxame de abelhas africanizadas próximo a uma área verde do Residencial Lívia em Botucatu. O incidente aconteceu por volta das 12h00 desta terça-feira, 02.

Segundo relatos da mulher de 39 anos, que não quis ter seu nome revelado, ela, o marido de 35 e a filha de 7 anos, estavam a caminho de casa, quando passaram próximo a área verde do bairro e foram atacados pelos insetos. O marido dela levou mais de 50 picadas.

“Chegando na rua Pedro Francisco Paulossi, rua da área verde do bairro Lívia 2, saiu um enxame de abelha do meio da área verde, milhares de abelhas, e nos atacou. Tivemos que ser hospitalizados, com muita dor, alergia e trauma. Minha filha é quem está pior, com muita dor e traumatizada”, contou a mulher.

Ainda segundo ela, os bombeiros e a equipe da zoonoses do município compareceram ao lugar, mas irão ter que voltar novamente, pois não localizaram as abelhas.

“Espero que venham e as encontrem, porque podem atacar mais pessoas, inclusive crianças, que circulam para todo lado nesse local. Elas simplesmente as abelhas nos atacaram, estávamos no meio da rua, nem na calçada estávamos. Meu marido foi atacado primeiro, um pouco do enxame foi pra cima dele, as áreas mais picadas foi as costas . Ele correu pra tentar despistar as abelhas de mim e da minha filha, mas não adiantou muito. Eu fiquei com a minha filha e outra parte do enxame veio na gente. Eu para tentar proteger minha filha, levei muitas picadas no rosto todo, pescoço, barriga e braços. Minha filha nas costas , sobrancelhas e orelhas”, contou ela.

Aumento da reprodução

As abelhas são responsáveis pela polinização da maior parte das plantas com flores, tanto cultivadas quanto silvestres, sendo fundamentais para a produção de alimentos e a preservação de matas e florestas.

Dentre as espécies de abelhas, existe a Apis mellifera africanizada, que devido à maior oferta de alimento propiciada pelos meses de primavera e verão se reproduzem mais.

Em decorrência disso, a colônia fica aumentada e o ninho original se divide havendo a chamada enxameação. Este fenômeno aumenta a probabilidade do encontro de abelhas com pessoas e/ou animais, podendo ocorrer ataques, inclusive com risco de morte.

O que fazer em caso de ataque de abelhas africanizadas?

1. Fuja rapidamente do local em que está. Não pare para organizar ou pegar nada. Só se preocupe em ajudar crianças ou pessoas com alguma dificuldade.

2. Enquanto corre, tente cobrir o rosto, por exemplo, com sua camiseta ou blusa. Mas não deixe que isso o deixe mais lento. Proteger o rosto é fundamental, pois é uma área mais sensível, especialmente envolta dos olhos.

3. Continue correndo. Só pare quando perceber que já não há mais abelhas te perseguindo ou quando encontrar abrigo (um veículo ou construção fechados). Algumas abelhas podem seguir você adentro, mas você já estará protegido do ataque massivo.

4. Não pule na água se não conhecer o espelho de agua e se não souber nadar. As abelhas vão esperar você subir para respirar e aproveitar para ferroá-lo. Isto pode fazer com que você se assuste e se afogue. Se estiver no meio do mato, tente correr por entre arbustos e folhagens, isso costuma despistar as abelhas.

5. Se você estiver encurralado e não tiver para onde fugir, deite-se de bruços e proteja a cabeça (especialmente os olhos), cubra-se com cobertores, jaquetas ou com o que houver disponível.

6. Não tente bater nas abelhas e agitar os braços. Evite gritar desnecessariamente e não esmague abelhas, pois elas são atraídas e ficam mais agressivas com movimentos bruscos e barulho. Além disso, o cheiro de abelhas esmagadas atrai mais abelhas para atacá-lo.

7. Uma vez em segurança, tente remover os ferrões, que continuam injetando veneno por algum tempo, mesmo após a abelha já ter ido embora. O ferrão contém uma bolsa de veneno que fica presa à pele, portanto não tente retirá-lo com os dedos. Use um cartão de crédito, uma pinça, faca ou outro objeto para raspar o ferrão sem apertar a bolsa de veneno, pois isto levará a uma maior injeção do veneno em seu corpo. A abelha que deixa o ferrão morre logo após a picada.

8. Se vir alguém sendo ferroado, sugira que corra e socorra-o quando estiver protegido com uma coberta ou algo parecido.

9. Se o ataque for sério, chame os bombeiros ou o SAMU para que a pessoa atacada receba os devidos cuidados.

10. Independentemente do número de ferroadas, se estiver se sentindo mal (queda de pressão, falta de ar ou outro sintoma), procure atendimento médico imediato. Você pode ser alérgico e isso é muito grave nessa situação.

Como evitar um ataque de abelhas africanizadas?

1. Se souber da existência de uma colônia (enxame) em algum lugar, evite aproximar-se. Se puder, avise aos outros ou sinalize a existência do enxame, precavendo outras pessoas.

2. Cheiros fortes, barulho, batidas, vibração ou movimentos bruscos tendem a provocar uma reação da colônia, portanto evite provocar tais fatores na proximidade das abelhas.

3. Abelhas em flores, refrigerantes ou outra fonte de açúcar, raramente atacam as pessoas, portanto deixe-as em paz que elas tenderão a ignorá-lo. Se possível, esconda ou remova a fonte de açúcar, isso evitará que a abelha recrute novas companheiras para a fonte e alimento, o doce.

4. Se não tiver conhecimento técnico sobre apicultura, nem equipamento de proteção apropriado, não tente remover enxames ou tirar mel, principalmente no ambiente urbano, pois isso pode causar um ataque na vizinhança, podendo inclusive resultar na morte de pessoas ou animais.

5. Caso encontre um enxame, procure os bombeiros, guarda civil ou algum apicultor experiente para removê-lo.

Informações do Grupo de Pesquisa da UNIFAL-MG

Compartilhe esta notícia
Oferecimento
BERIMBAU INST DESK
Oferecimento