Em Botucatu, Ministro dos Transportes autoriza início das obras de viaduto

Atualizada às 20h03

 

“Conseguimos priorizar Botucatu”, disse o Ministro

O Ministro dos Transportes, Portos e Aviação, Mauricio Quintella Lessa, esteve em Botucatu nesta quinta-feira, dia 10, e autorizou, enfim, o início das obras de construção do viaduto que ligará os bairros Jardim Paraíso e Jardim Cristina. A obra está listada no PAC (Programa de Aceleração de Crescimento).

O Ministro chegou em Botucatu às 14 horas no Aeroporto Municipal e foi recepcionado pelo Prefeito Mário Pardini, Deputado Federal Milton Monti, Deputado Estadual Fernando Cury, vice prefeito André Peres, entre outros. O avião da FAB que trouxe a comitiva chegou com 1h30 de atraso.

Durante a tarde, Quintella, ainda acompanhado do Prefeito, Deputados e técnicos, participou de uma cerimônia organizada no Parque Municipal, no Jardim Paraíso, para a assinatura do contrato que permite o início da construção do viaduto. Também participou do ato o Secretário Estadual dos Transportes, Laurence Casagrande Lourenço.

“É uma interterligação importante, uma travessia da rede ferroviária em um momento de restrição fiscal. Temos um programa de eliminação de pontos críticos, são 1400 listados, como este de Botucatu e conseguimos priorizar Botucatu”, disse o Ministro, que em sua fala elogiou a atuação do Deputado Milton Monti.

Pardini: “Esse é o início de um grande sonho do nosso governo, de viabilizar o Anel Viário de Botucatu”

A obra é uma das mais aguardadas pelos botucatuenses, ao mesmo tempo que se tornou alvo de muita frustração desde que foi anunciada em 2009. Existia a expectativa e até mesmo promessas de que as obras teriam início ainda nos primeiros meses de 2017, fato que não se confirmou.

“Esse é o início de um grande sonho do nosso governo, de viabilizar o Anel Viário de Botucatu, que beneficiará a toda população, melhorando a mobilidade urbana, principalmente para as gerações futuras. Importante lembrar, que quase todo o material usado na obra será comprado aqui na cidade, sem contar as contratações que serão feitas em Botucatu pela empresa que vai executar o projeto”, colocou Pardini em discurso durante a cerimônia que autorizou as obras.

Milton Monti: “Quando pedimos para essa obra ser incluída no PAC, era para ela não ter descontinuidade”

O viaduto terá aproximadamente 140 metros de extensão, 20 metros de altura e 20 de largura, com preço estipulado em aproximadamente R$ 17 milhões. A obra deverá ser executada pela empresa Contersolo  – Construtora de Obras Ltda., do Estado do Paraná, que venceu o processo licitatório. A empresa terá 18 meses para a conclusão das obras.

“Quando pedimos para essa obra ser incluída no PAC, era para ela não ter descontinuidade. Desta forma ela sempre terá recursos à disposição. Acho possível, desde que a obra não seja atropelada, da empresa terminar antes, diminuindo custos”, disse o Deputado Milton Monti.

Interligação

O novo viaduto fará a conexão entre o Residencial Arlindo Durante, na altura da Rua Luiz Carnieto, até a Rua José Barbosa de Barros, nas imediações do Parque Municipal “Joaquim Amaral Amando de Barros”, no Jardim Paraíso. A obra, esperada há quase uma década pela população, permitirá uma nova via de acesso, rápida e segura, entre as Regiões Norte e Leste da Cidade.

Ao todo, serão gerados até 45 empregos na cidade. A alimentação dos funcionários, a compra de materiais de construção e o aluguel de algumas máquinas serão feitos utilizando o serviço de empresas botucatuenses, gerando recursos para o comércio do Município.

Anel Viário

Um dos principais desafios da gestão de Mário Pardini à frente da Prefeitura de Botucatu aponta para a mobilidade urbana. O grande desejo do Governo para a pasta é a construção de um anel viário, ou seja, um conjunto de obras que dará maior fluidez ao trânsito de veículos, especialmente com a ideia de desafogar o fluxo nas vias do centro da Cidade.

Além da obra entre o Jardim Cristina e o Jardim Paraíso, a Prefeitura tem outros projetos em execução. O primeiro, na Rodovia Gastão Dal Farra com a Avenida Zumbi dos Palmares, na Região Sul, que facilitará a ligação dessa região com a Rodovia João Hypólito Martins, a Castelinho.

Outra conexão será entre o Distrito de Rubião Júnior e o Bairro Santa Eliza, facilitando o acesso tanto ao Hospital das Clínicas, em Rubião, quanto ao Fórum da Cidade.

Material da obra

A obra do Viaduto tem algumas peculiaridades interessantes. Estima-se que serão transportados para o local aproximadamente 200 mil metros cúbicos de terra. Esta medida equivale a aproximadamente 20 mil caminhões, ou a uma área de aproximadamente 50 mil metros quadrados de extensão por 4 metros de profundidade.

Serão utilizados 350 mil quilos de aço, 1900 metros lineares de estaca, tipo hélice e 5 mil m² de concreto, material que deverá ser adquirido pela construtora no comércio local.