Com natureza exuberante, Botucatu quer virar estância turística, destaca reportagem

Folha de São Paulo destacou vacinação em massa e atrativos naturais de Botucatu

Foto André Godinho/Acontece Botucatu

Matéria da Folha de São Paulo, jornal de maior circulação no país, deu um enorme destaque para Botucatu nesta quarta-feira, dia 29. O texto assinado pelo jornalista Alexandre Putti foca nas belezas naturais do município e também na vacinação em massa, que a projetou no cenário internacional.

O município está distante 245 km da capital e foi escolhido como palco do estudo de efetividade do imunizante AstraZeneca contra a Covid-19, realizado pela universidade Oxford, faculdade de medicina da Unesp (Universidade Estadual Paulista), Fiocruz e Prefeitura de Botucatu.

A matéria da Folha também cita que Botucatu ficou conhecida como uma boa opção para quem busca ecoturismo e aventuras radicais como voo de parapente, escalada, ciclismo nas montanhas, rapel e atividades náuticas.

A riqueza natural local explica o interesse que a cidade vem despertando em turistas. A região de Botucatu possui 80 cachoeiras, Mata Atlântica, cerrado, diversas trilhas e a Cuesta, uma formação de relevo que pode chegar a até mil metros de altura.

Custos e eventos

Os baixos gastos de uma visita também atraem os turistas. Além do custo de vida mais barato se comparado ao da capital paulista, a maioria dos passeios em Botucatu é gratuita. No caso das poucas cachoeiras e locais de visitação que cobram entrada, ela não passa de R$15.

“Estamos trabalhados para fortalecer o turismo. Quando as pessoas vêm pela primeira vez, ficam surpreendidas pela beleza natural e pelo cuidado da cidade. Os visitantes ficam em choque por nunca terem ouvido falar de Botucatu”, relata o guia turístico e presidente do Conselho Municipal de Turismo Cristiano Vieira ao jornal.

Em setembro deste ano, Botucatu foi sede do Festival Brasil Ride, um dos maiores do calendário de ciclismo do país. No circuito, um dos pontos obrigatórios aos ciclistas era a base da nuvem, uma área privada com um mirante de frente para a Cuesta.

Além de rallies e trilhas, o local abriga também a escola de voo livre de parapente, que desde 2002 tornou- se referência no país.

“A região que estamos hoje não era conhecida pelo ecoturismo. Não tinha nada. O voo livre foi uma das primeiras engrenagens para o turismo ecológico de Botucatu. As pessoas iam para ver os voos e acabavam descobrindo as trilhas, os rallies e o mirante para assistir o sol nascer atrás da Cuesta”, conta Edson Caetano, proprietário da escola de voo livre de parapente e arrendatário da base da nuvem.

A escola administrada por Caetano tem hoje 58 associados que podem fazer voos sozinhos. Turistas também podem voar por cima da Cuesta –acompanhados de um instrutor, os voos turísticos custam R$200 por pessoa.

“O voo livre destacou Botucatu, foi um local de campeonatos importantes. O último foi o paulista. E, financeiramente, dá retorno para os moradores locais. Os proprietários da região pararam com a criação de gado e vivem hoje do ecoturismo. Só precisamos de mais investimento dos empresários da cidade”, avalia Caetano.

Estância Turística

Espetáculo de cores no Rio Bonito (Foto André Godinho)

Outro ponto destacado pela Folha de São Paulo na reportagem é que Botucatu é um Município de Interesse Turístico. A conquista ocorreu em 2018, fazendo com que fosse repassado pelo estado uma verba anual de R$ 800 mil para investir nesse segmento.

A meta, no entanto, é tornar Botucatu uma estância turística, para receber ainda mais verba e reconhecimento do Estado.

“O turismo aconteceu de forma natural aqui, fomos aos poucos descobrindo. E não foi uma política pública induzida pelo município, reconheço essa falha. Passamos por muitas coisas, mas agora conseguimos tirar a cabeça para fora e olhar o potencial que temos”, diz o prefeito da cidade, Mario Pardini.

Pardini relata que, nos últimos anos, houve maior procura de empresários interessados em investir na cidade, principalmente do setor hoteleiro.

“Nós temos que capacitar o empresariado para o turismo na cidade. Para fazê-los entender o potencial que tem Botucatu. Estamos nos preparando para que, daqui a cinco ou dez anos, sejamos uma estância turística para movimentar a economia”, planeja.

“Queremos capacitar a mão de obra em parceria com o Senac para a população também lucrar com nosso turismo. Há um potencial enorme que precisa ser explorado”, analisa.

De acordo com o último levantamento do Instituto Sou da Paz, ela está entre as cem cidades do estado de São Paulo com menor exposição ao crime. O prefeito Mario Pardini garante que há três meses o município não registra nenhum caso de furto ou roubo.

A reportagem completa da folha está no link https://www1.folha.uol.com.br/turismo/2021/09/com-natureza-exuberante-botucatu-quer-virar-estancia-turistica.shtml?pwgt=19u0a1gcxahmhw8bd7ejez3sdb4sgo06gjy93i722evwt3b6&utm_source=whatsapp&utm_medium=social&utm_campaign=compwagift