Botucatu se mobiliza para ajudar vítimas no Rio de Janeiro

Cidade
Botucatu se mobiliza para ajudar vítimas no  Rio de Janeiro 17 janeiro 2011

Uma grande mobilização está sendo feita na cidade de Botucatu com a finalidade de ajudar as vítimas de soterramento e inundações que estão ocorrendo na região serrana do Estado do Rio de Janeiro, onde quase mil pessoas já perderam a vidas e milhares estão desabrigadas.

Para ajudar vítimas da tragédia que assola o Rio de Janeiro, a pessoa pode entregar seu donativo em alguns pontos espalhados pela cidade, como Fundo Social de Solidariedade, Guarda Civil Municipal, Tiro de Guerra (TG), Polícia Militar, Rádio Municipalista, entre outros.

{bimg:16976:alt=interna1:bimg}

Os donativos podem ser caixa de leite, água mineral ou gêneros alimentícios como arroz, feijão, macarrão, bolacha, etc. Tudo que for arrecadado será transportado em caminhões até o Rio de Janeiro através de um trabalho a ser realizado pelo secretário municipal de Segurança Pública, delegado Adjair de Campos, por intermédio da Defesa Civil de São Paulo.

{bimg:16977:alt=interna2:bimg}

Um dos pontos de entrega mais movimentados está na Rádio Municipalista. “Estamos mais uma vez mobilizando a população de Botucatu para que ajudem as vítimas do Rio de Janeiro. O povo é solidário e sempre nos ajuda em campanhas para os mais necessitados e tenho certeza de que desta vez não será diferente. Muita gente tem procurado a rádio para fazer a doação. É uma maneira que nossa cidade tem para prestar ajuda aquelas pessoas que estão passando por momentos muito difíceis”, frisou o diretor da Emissora, Vanderlei dos Santos.

{n}Números da tragédia{/n}

Já são 641 pessoas que já perderam a vida no Rio de Janeiro (590 identificadas) em razão dos temporais que estão assolando a região serrana do Estado. Isso sem falar das muitas pessoas que estão desaparecidas, possivelmente, soterradas entre os escombros e nas localidades isoladas que foram devastadas pelas enxurradas e deslizamentos de terras. Além das mortes, o número de desabrigados e desalojados chega a 14.090 pessoas.

Levantamentos das prefeituras, até a manhã desta segunda-feira (17) apontam que foram registradas mortes em Nova Friburgo, Areal, Bom Jardim, Teresópolis, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto. Nessas cidades, o governador do Estado do Rio de Janeiro Sérgio Cabral decretou estado de calamidade pública.

Esta é a maior tragédia climática da história do Brasil. O número de vítimas ultrapassou o registrado em 1967, na cidade de Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo. Naquela tragédia, tida até então como a maior do Brasil, onde 436 pessoas morreram.

No ano passado, de janeiro a abril, o estado do Rio teve 283 mortes, sendo 53 em Angra dos Reis e Ilha Grande, na passagem do ano; 166 em Niterói, onde se localizava o Morro do Bumba, e 64 no Rio e outras cidades atingidas por temporais em abril.

Fotos: Divulgação

Compartilhe esta notícia
Oferecimento
BERIMBAU INST DESK
Oferecimento