Longas filas em postos e falta de combustível nas bombas deixam Botucatu em clima de tensão

Frentistas estão de braços cruzados em muitos postos (Acontece Botucatu)

Já há falta de combustível em muitos postos da cidade de Botucatu. A dificuldade para que caminhões de abastecimento cheguem até o município, aliada a alta procura de motoristas nesta quinta-feira, dia 24, aumentou a tensão por parte de motoristas e empresários dos postos.

Os postos que ainda mantém um estoque de combustíveis concentram enormes filas. O congestionamento dos postos já atrapalha vias importantes da cidade como Floriano Peixoto, Rua Amando e Vital Brasil.

“Estou na fila por mais de uma hora. Tentei outros postos e alguns já estavam sem combustíveis. Estamos apreensivos”, disse a Professora Juliana Pantarotti, que estava na fila de um posto na Floriano Peixoto.

Um motorista de caminhão, que pediu para não se identificar, disse temer pela integridade ao cruzar as rodovias com o caminhão tanque. “Está difícil, não conseguimos fazer esse trajeto da distribuidora até os postos, somos impedidos e ameaçados pelo movimento grevista”, disse.

Os empresários afirmam que não estão conseguindo receber combustíveis. Por conta das barreiras colocadas em rodovias cruciais, caminhões não chegam ao seu destino.

“Não estamos conseguindo receber combustíveis. Que as bases das companhias estão com restrições de produtos e os caminhões não conseguem atravessar as barreiras das estradas. Mesmo assim entendo e concordo com a greve dos caminhoneiros pois os impostos no Brasil, principalmente nos combustíveis, fazem com que nossos combustíveis se tornem muito caros”, disse Marcelo Carbonari, empresário do ramo.

A Greve de caminhoneiros chega ao 4º dia e causa reflexos pelo país. O movimento é motivado pela campanha “Dia da Liberdade de Impostos”, organizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDJ).

Prefeitura de Botucatu decreta estado de emergência

Bombas estão com cadeados em muitos postos (Acontece Botucatu)

A Prefeitura de Botucatu realizou na manhã desta quinta-feira, 24, uma reunião de emergência com representantes das principais Secretarias com maiores frotas do Município, para tratar do desabastecimento nacional. Um representante das empresas de transporte coletivo também esteve presente.

O Prefeito Mário Pardini decretou estado de emergência para garantir serviços essenciais da Cidade, como transporte de alunos, merenda escolar, SAMU, ambulâncias e viaturas da Guarda Civil Municipal, visando o contingenciamento de combustíveis frente ao desabastecimento de insumos e produtos.

“Botucatu não vai parar. Vamos buscar soluções e alternativas para que a população não sinta os reflexos dessa crise, principalmente nas áreas de saúde, segurança e educação. Vamos parar alguns serviços administrativos e obras que podem esperar alguns dias e direcionar todos os recursos para essas áreas principais”, disse o Prefeito Mário Pardini.

Pardini cobrou medidas das empresas que operam o transporte coletivo para que o serviço não sofra alterações.

Ajuda externa

Diante das dificuldades, o Prefeito solicitou ajuda de empresários do ramo do transporte, que estão com a frota parada por conta da greve dos caminhoneiros. José Geraldo Batista da Silva, o Geraldinho da Aquariun, que hoje comanda a transportadora Phenix, colocou à disposição todo o estoque atual de diesel da empresa, para que a Prefeitura possa abastecer emergencialmente os veículos essenciais.

 

“Quero agradecer todos empresários que compreenderam este momento e se solidarizaram com nossa dificuldade. Essas medidas irão contribuir bastante para que a população de Botucatu não seja prejudicada”, agradeceu Pardini.