Botucatu deve receber R$ 16 milhões do Governo Federal para enfrentamento ao Coronavírus

Valor recebido em Botucatu será aplicado no custeio de diversas áreas

Foto M&M Imagens

O município de Botucatu deve receber nos próximos meses o valor de R$ 16.385.835,89 do Governo Federal via Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus. Esse apoio aos Estados e Municípios está relacionado ao Projeto de Lei 39/2020, aprovado pelo Congresso Nacional e pelo Senado. O valor repassado a Botucatu será dividido em 4 parcelas, referentes aos meses de abril a julho.

“Assim como aconteceu em outros países do mundo, é papel do Governo Federal a responsabilidade sobre esse tipo de auxilio. Importante que os recursos sejam disponibilizados o quanto antes pois os impactos das quedas de arrecadações afetam toda a Federação – Estados e Municípios – há mais de 30 dias. Outra questão importante é que o Governo Federal acompanhe a realidade dos municípios brasileiros. Se levarmos Botucatu como exemplo em Abril tivemos um déficit de R$ 6 milhões e o apoio será de R$ 4 milhões mensais”, disse ao Acontece Botucatu o Secretário Municipal de Governo Fábio Leite.

Segundo ele, o valor recebido será aplicado no custeio de diversas áreas da cidade, justamente para recompor esse déficit apontado.

Cidades vizinhas

Cidades vizinhas de Botucatu também irão receber o aporte federal. O montante é relacionado ao número de habitantes de cada município. Confira os valores:

  • São Manuel – R$ 4.580.745,84
  • Itatinga – R$ 2.314.980,14
  • Areiópolis – R$ 1.244.789,77
  • Bofete – R$ 1.312.012,23
  • Pratânia –  R$ 588.448,11
  • Anhembi –  R$ 752.086,12
  • Conchas – R$ 2.001.685,49
  • Pardinho – R$ 719.761,18

O programa 

O Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus foi criado para prestar auxílio financeiro de até R$ 125 bilhões a estados, Distrito Federal e municípios. O objetivo principal é ajudar os entes federativos no combate à pandemia da covid-19. O valor inclui repasses diretos e suspensão de dívidas. O projeto segue agora para sanção presidencial.

O Programa vai direcionar R$ 60 bilhões em quatro parcelas mensais, sendo R$ 10 bilhões exclusivamente para ações de saúde e assistência social (R$ 7 bi para os estados e R$ 3 bi para os municípios) e R$ 50 bilhões para uso livre (R$ 30 bi para os estados e R$ 20 bi para os municípios). Além disso, o Distrito Federal receberá uma cota à parte, de R$ 154,6 milhões, em função de não participar do rateio entre os municípios. Esse valor também será remetido em quatro parcelas.

Além dos repasses, os estados e municípios serão beneficiados com a liberação de R$ 49 bilhões através da suspensão e renegociação de dívidas com a União e com bancos públicos e de outros R$ 10,6 bilhões pela renegociação de empréstimos com organismos internacionais, que têm aval da União.

Os municípios serão beneficiados, ainda, com a suspensão do pagamento de dívidas previdenciárias que venceriam até o final do ano, representando um alívio de R$ 5,6 bilhões nas contas das prefeituras. Municípios que tenham regimes próprios de previdência para os seus servidores ficarão dispensados de pagar a contribuição patronal, desde que isso seja autorizado por lei municipal específica.

Com informações da Agência Senado

Veja também no Acontece Botucatu

Imagens mostram avanço nas obras de represa em Botucatu