Botucatu aposta na observação de aves como novo atrativo para o turismo

 

Observação de Aves. Esse é um novo ramo de aposta do turismo botucatuense, que se consiste no conhecimento e registro de imagens e sons de aves. A observação de aves é uma das três modalidades de turismo que mais cresce no mundo e faz parte do chamado Turismo Ecológico, ou Ecoturismo.

O projeto “Botucatu – Cidade Observadora de Aves”, vai promover essa modalidade do turismo no Município, através de um amplo programa socioambiental que será desenvolvido pela Secretaria Adjunta de Turismo.

O Brasil possui seis biomas e é o segundo país em diversidade de aves no mundo, contendo mais de 1.800 espécies. Em Botucatu vivem cerca de 350 aves livres.

“Nosso objetivo é atuar nas várias frentes que essa modalidade do turismo possibilita, a fim de tornar-se um vetor de avanço econômico para a Cidade. Botucatu é visto como um local privilegiado para a observação de aves e através das ações do Poder Público e das instituições privadas e de fomento ao turismo, será referência nacional neste ramo”, afirmou Roberta Sogayar, Secretária Adjunta de Turismo.

Ações do “Botucatu – Cidade Observadora de Aves” já estão em andamento, e os cidadãos botucatuenses interessados podem participar, começando por conhecer as placas de sinalização de aves, instaladas em quatro locais da Cidade: Praça Brasil Japão, Parque Cachoeira da Marta, Bairro da Demétria e Praça Rubião Júnior.

O programa teve seu lançamento na última semana, durante cerimônia no Teatro Municipal “Camillo Fernandez Dinucci”, que reuniu autoridades do Município, representantes do turismo e importantes nomes do aviturismo nacional, como Guto Carvalho, presidente da Avistar, maior feira de aviturismo do Brasil.

 “A cidade possui todos os atributos para se tornar um poderoso ponto turístico mundial da cultura de observação de aves. Junto com empresários, profissionais especializados em aves, educadores, artistas e a comunidade, vamos escrever uma importante história do nosso turismo, integrando entretenimento, gastronomia, aventura, cultura, pesquisas científicas, e gerar trabalho, renda e preservação de nossas riquezas naturais”, finalizou o Prefeito Mário Pardini.