Após reintegração de posse no Riviera, MSL ocupa área particular em Rubião Junior

 

Arquivo Acontece Botucatu

Apos cumprir decisão da Justiça, que nesta sexta-feira, dia 04, determinou a reintegração de posse em um terreno ocupado no Jardim Riviera, mais precisamente, na Avenida Venezuela, o ‘Movimento Social da Luta’ (MSL)  se deslocou para uma nova área. Neste sábado, dia 05, o acampamento foi instalado em um espaço na região do Santo Ignácio, Rubião Junior.

Mas ao contrário do que ocorreu em 2016, quando um terreno da Igreja Católica foi tomado, desta vez o espaço é particular. Segundo apurou o Acontece Botucatu, são vários lotes com mais de um proprietário.

“Vamos tomar as medidas cabiveis”, diz advogado Indalécio Antônio Fávero Filho

De acordo com o advogado Indalécio Antônio Fávero Filho, que representa o proprietário com maior número de lotes no local, as medidas cabíveis serão tomadas a partir de segunda-feira, dia 08.

“O proprietário dos lotes já está ciente da situação e a partir de segunda-feira iremos tomar as medidas judiciais para a reintegração de posse da área, que está totalmente regularizada com seus tributos”, disse o advogado ao Acontece.

O grupo é o mesmo que ocupou uma área pertencente à União em Rubião Júnior em março de 2016 e posteriormente um terreno na Casa Santo Ignácio. Também já passaram por áreas que beiram a Marechal Rondon, em uma fazenda entre Botucatu e São Manuel. No dia 15 de Julho ocuparam um terreno no Jardim Riviera, alvo da reintegração desta sexta-feira.

O MSL

O Movimento Social da Luta (MSL) tem forte atuação nas regiões de Botucatu e Bauru. Segundo seus líderes, apesar de algumas semelhanças, não possui ligação com o MST.

Em Botucatu a liderança do Movimento é de Odenil Gonçalves. O objetivo do MSL, segundo ele, é a inclusão dessas famílias em programas sociais do Governo Federal.

“Nossa exigência é por direitos aos que mais necessitam. Estamos acompanhando os últimos empreendimentos habitacionais e os contemplados são sempre pessoas com renda superior às dessas famílias. Nossa luta é pelas pessoas de baixa renda”, afirmou Odenil em recente entrevista ao Acontece.

O mesmo movimento possui ainda uma outra área ocupada em Botucatu. Há mais de um ano, pouco mais de 40 famílias estão acampadas em um lote da União em uma zona rural existente entre Rubião Júnior e o parque fabril da Caio Induscar. Até o momento, a União não efetivou seu pedido de reintegração de posse. O local é bastante afastado e nunca foi utilizado para nenhum fim.