Após infarto, paciente decide se casar no Hospital das Clínicas antes de cirurgia

Milton, 57, e Eva, 58, se conheceram na adolescência, em Itaporanga, e namoraram por dois anos. Obrigados a se separar pelo autoritarismo do pai de Eva, seguiram caminhos diferentes por anos, cada um em uma cidade, com sua família e sem nenhum tipo de contato. Mas por razões que “a própria razão desconhece”, o destino fez seu papel, no melhor modelo de “um amor que era pra ser”. E como era.

Milton e Eva se encontraram cerca de 15 anos depois, em 1984, e prometeram não se separar mais. Hoje, nos contaram sua história e nos provaram que o que transforma o destino é o amor.

Há uma semana, o Sr. Milton sofreu um infarto e foi internado no Pronto Socorro Referenciado (PSR) do HCFMB. Ao receber a notícia que o tratamento mais indicado para ele seria uma cirurgia, recusou imediatamente, e disse à equipe médica que gostaria de ir pra casa.

Consciente de que o tratamento era extremamente necessário, revelou ao médico Dr. Gustavo Buosi o motivo de não aceitar a cirurgia. “Sei que toda cirurgia tem seu risco, mas eu ainda tenho um sonho para realizar: me casar com a Eva. Estamos juntos há 35 anos, mas ainda não nos casamos”, contou ao médico.

“Se esse era o motivo, se era pro bem dele, por que não ajudá-lo?”, disse o Dr. Gustavo.

De um dia para o outro, toda equipe do PSR se mobilizou: desde a ajuda para a documentação no cartório pela equipe do Serviço Social, até a estrutura improvisada na sala de reuniões, tudo foi feito rapidamente, demonstrando o carinho de todos para realizar a vontade antiga do casal. E na tarde desta sexta-feira, o tão sonhado “sim” foi dito no PSR do HCFMB, na presença de servidores do HC, médicos, enfermeiras, e de suas filhas.

Após a cerimônia, Milton voltou ao seu leito no PSR do HC, e Eva continuará ao seu lado como acompanhante, aguardando a data da cirurgia. A partir de hoje, felizes para sempre. Fonte: HCFMB.