Viveiro e aterro recebem visitas de estudantes

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente promoveu no final de outubro passado duas visitas monitoradas a estudantes de Botucatu. A primeira foi junto com alunos da 6ª e 8ª série do Serviço Social da Indústria (Sesi) de Botucatu, que visitaram o Viveiro Municipal.

Ao lado dos engenheiros agrônomos Irene Andrade Menezes e Nivaldo Cruz, e a educadora ambiental Maria Nahssen, todos da Secretaria de Meio Ambiente, os jovens aprenderam pouco mais sobre os benefícios que as árvores trazem ao Município e para o meio ambiente, além dos transtornos e perigos causados pelo plantio de árvores pertencentes ? espécies não adequadas para arborização urbana e por fortes chuvas. Na oportunidade, os alunos também indagaram os técnicos sobre os parâmetros utilizados para a autorização de remoção e poda de árvores; a situação da arborização urbana em Botucatu e outras questões ambientais de uma maneira geral.

A visita teve como objetivo a elaboração de um projeto experimental para concorrer no torneio estadual de robótica do Sesi, no fim deste mês, em Presidente Epitácio. O projeto do grupo consiste em montar um software, onde serão cadastradas as árvores da Rua Costa Leite [Centro] com suas características e condições atuais, a fim de apoiar na prevenção de acidentes nas épocas que os vendavais são mais frequentes.

Para sua execução, a engenheira agrônoma Irene acompanhará os alunos para ensiná-los a analisar parâmetros como: estado fitossanitário e susceptibilidade ? queda das árvores; os danos possíveis e já causados por elas ? propriedade do munícipe e aos bens públicos; a espécie a qual pertence o indivíduo arbóreo; sua provável idade; seu porte e altura.

“A Secretaria Municipal de Meio Ambiente ficou entusiasmada com a iniciativa dos estudantes por pelo caráter inovador do projeto e dará todo apoio necessário”, comenta o secretário de Meio Ambiente, Perseu Mariani.

Já os alunos do 1º do Ensino Médio do Colégio Casimiro Montenegro Filho, mantido pela empresa aeronáutica Embraer, puderam visitar o Aterro Sanitário e a Cooperativa de Agentes Ambientais.

O objetivo da visita foi conhecer a maneira que os resíduos sólidos são destinados, como forma de entender a relação do ser humano com o ambiente. Isso dará subsídios para que os alunos possam agir engajados na conservação e uso sustentável dos recursos naturais e sejam agentes multiplicadores.

O engenheiro ambiental Leonardo Parize, da Secretaria de Meio Ambiente, mostrou e explicou aos alunos todo funcionamento de um aterro. Desde o momento que os caminhões chegam ao local, a quantidade de resíduos gerada diariamente, como o chorume é tratado, a vida útil do aterro, entre outros aspectos.

O gerente operacional da Cooperativa, Clodoaldo Kruse, contou aos alunos a história da cooperativa, o papel dela na inclusão social, a importância de se realizar a coleta seletiva e posterior reciclagem para o meio ambiente e para geração de renda. Ainda informou sobre os produtos que são passíveis de serem recicláveis e como eles devem ser segregados, o valor dos diferentes tipos de produtos e como funciona toda a operação da cooperativa.

“Entendendo a importância da atividade, estamos planejando reproduzi-la para alunos de outras escolas e projetos sociais”, informa Mariani.

{n}Sobre o Viveiro{/n}

O Viveiro Municipal de Botucatu, construído em 1985, no então governo do prefeito Antônio Jamil Cury, tinha como objetivo principal a produção de mudas para arborização urbana.

Atualmente, ele produz mudas de árvores para arborização urbana e mudas de flores e plantas para paisagismo e jardinagem de praças públicas. Além disso, o Viveiro “engorda” mudas fornecidas pelo Viveiro do Cedepar (Consórcio de Estudos, Recuperação e Desenvolvimento Sustentável da Bacia Hidrográfica do Rio Pardo) que são usadas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente para: arborização de logradouros públicos, de praças, parques, áreas verdes em geral, recuperação de áreas degradadas.

O Viveiro Municipal conta com 28 espécies, entre nativas e exóticas, de mudas para arborização tanto para passeios públicos, como para praças e áreas verdes. Ele está localizado na Avenida Itália s/nº, próximo ? Cohab 1.

O Aterro Sanitário de Botucatu foi iniciado na década de 90. Com as devidas licenças ambientais, hoje ele passa por ampliações para receber as 95 toneladas/dia de resíduos domésticos gerados no Município por pelo menos 15 anos. Todo o projeto de ampliação está a cargo da empresa Revita, operadora do aterro. Ele está localizado na Rodovia Eduardo Zuccari (km 2,5), a 14 km do Centro de Botucatu.