Turismo Rural: 2º módulo do curso leva alunos ao Museu do Café, Cevap e casa do Conde Serra Negra

Nos dias 28, 29 e 30 de abril os alunos do curso de Turismo Rural concluíram mais um módulo que tem sido desenvolvido em Botucatu. A ação promovida pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), em parceria com o   Sindicato Rural de Botucatu, conta com apoio da Secretaria de Esportes, Lazer e Turismo e Assistência Social.

O módulo II intitulado “Identidade e Cultura” visou conhecer, identificar e resgatar as manifestações histórico-culturais da localidade e da região, fazendo a análise de possibilidades em relação ao Turismo Cultural no Meio Rural.

Após a aula teórica os alunos foram levados a conhecer a história de Botucatu no Museu do Café.

A visita monitorada pelo coordenador do museu, José Eduardo Soares Candeias, abordou a importância de Botucatu no cenário nacional e internacional com a produção de café e o privilégio da Cidade contar com um museu e a fazenda sem grandes modificações, fazenda esta que abriga a Unesp com diversos cursos na área de ciências agrárias, reconhecida internacionalmente por suas pesquisas.

O Cevap (Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos) foi outro local explorado. Os alunos não conheciam e se surpreenderam com a organização e grandeza das espécies expostas no museu. Ele é ponto de referência na ciência médica com a descoberta do soro para picada de abelhas e com o adesivo cirúrgico desenvolvido a partir do  veneno de serpentes como a jararaca e a cascavel.

Outro local que os alunos também tiveram a oportunidade de conhecer foi a Casa do Conde Serra Negra localizada no Distrito de Vitoriana. A visita foi permitida após contato com o Dr. Moacir Fernandes Filho, um dos diretores da Usina São Manoel.

Na sequência foi realizada uma visita por Vitoriana, onde sete dos alunos do curso vivem. A praça, o coreto e a igreja que constituem o centro do distrito foram mostrados aos alunos e depois seguiram a para a Escola Municipal “Raimundo Cintra”, onde puderam ver o restauro e a adaptação feita na antiga estação na qual hoje abriga a escola.

“Resgatar e saber de nossas origens é fator primordial para valorizar nossa cultura e raízes. Para o turismo é essencial que o patrimônio material e imaterial faça sempre parte do cenário local”, destaca a monitora do curso e assessora de Turismo, Luciana Alho.

Sobre o curso – O curso gratuito inclui material e alimentação. A duração será de 240 horas, divididas em dez módulos, sendo um por mês de 24 horas. Cada módulo será realizado em três dias com carga horária de oito horas diárias.

Os pré-requisitos para participar são: idade mínima de 18 anos, ser alfabetizado, possuir propriedade rural ou estar envolvido na área. Durante o curso o aluno terá aulas sobre atendimento, hospedagem, gastronomia, turismo de aventura, administração e ações que poderão ser aplicadas na propriedade rural.

Outras informações na Secretaria de Esportes, Lazer e Turismo [Rua Maria Joana Félix Diniz, nº 1.492 – Vila Auxiliadora] ou pelo (14) 3811-1492.

(Ass. de Imprensa da Prefeitura)