Técnica desenvolvida na FCA auxilia produtores de algodão

Uma parceria entre Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp, câmpus de Botucatu, e Instituto Mato-grossense do Algodão – IMAmt (www.imant.com.br.) vai auxiliar o setor produtivo com informações importantes para o cultivo do algodoeiro.

A edição de janeiro de 2013 de um boletim de difusão científica e tecnológica editado pelo (IMAmt) e dirigido a profissionais envolvidos com o cultivo e beneficiamento do algodão traz resultados de estudos desenvolvidos pelo professor Ciro Antonio Rosolem, do Departamento de Produção e Melhoramento Vegetal da FCA, e pelos seus orientados Fábio Suano de Souza, Fabio Echer e Rafael Werle, sobre a aplicação de reguladores de crescimento nessa cultura.

Considerada uma das plantas cultivadas mais complexas do ponto de vista fisiológico, o algodoeiro é exigente em termos nutricionais. Ao serem corretamente adubadas as plantas crescem e fazem sombra umas nas outras, dificultando o aproveitamento da luminosidade do sol e interferindo na produtividade. Os reguladores são substâncias utilizadas para moderar o crescimento das plantas para que elas sigam sadias, vigorosas, mas não muito altas, evitando o sombreamento.

O desafio da equipe do professor Rosolem foi criar um método de fácil entendimento para que as doses dos reguladores possam ser determinadas por quem trabalha diretamente no campo. “Existem programas de computadores que fornecem todos os dados necessários para a aplicação dos produtos. No entanto, no Brasil, muitas vezes temos fazendas muito distantes das cidades, problemas de comunicação, falta de treinamento de pessoal e outras questões que podem dificultar o uso desse tipo de tecnologia”, explica o professor. “Depois de muito trabalho conseguimos desenvolver uma técnica extremamente simples para tratar de um assunto complexo. Seguindo as instruções, o produtor consegue ter uma recomendação bastante razoável para o uso do regulador”.

O professor Rosolem colabora com o IMAmt em várias ações desde sua criação, em 2007. Um de seus orientados, Fabio Rafael Echer, desenvolveu parte da sua tese de doutorado utilizando áreas experimentais do IMAmt e hoje é pesquisador contratado da instituição. Foi dele a ideia de publicar os resultados dos estudos desenvolvidos na FCA em um boletim com tiragem de 2 mil exemplares.“Tudo o que fazemos na universidade tem o objetivo de colaborarpara resolver os problemas da sociedade e parcerias como essa são fundamentais para isso”, afirma o professor Rosolem. “É uma satisfação muito grande ver o resultado de nosso trabalho de uma década ser utilizado pelos agricultores”.

Fonte: Assessoria de Imprensa
Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp – câmpus de Botucatu/SP
Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais – Fepaf