Sabesp inicia obras da nova captação de água

A Sabesp iniciou as obras de construção de uma nova captação de água bruta no Rio Pardo – manancial utilizado para o abastecimento de água na cidade de Botucatu. O empreendimento estava previsto no plano de investimento da Sabesp para ser realizado em 2019, porém o cenário de escassez hídrica apresentado nos últimos meses no sudeste brasileiro levou a Sabesp a desenvolver ações para garantir a regularidade do abastecimento de água em todos os 365 municípios operados pela Empresa no Estado de São Paulo.

Em Botucatu, historicamente a capacidade hídrica do Rio Pardo permite que quase 670 litros de água por segundo sejam captados para atender aos mais de 130 mil habitantes. Em média, em períodos normais, o município capta 460 litros de água por segundo.

Mas o verão atípico, com temperaturas altas e índices de chuva muito baixos, prejudicou bastante o volume de água da bacia do Rio Pardo que registrou picos no limite mínimo necessário para garantir o volume de água que a cidade consome todos os dias. Essa situação colocou em alerta os técnicos da Sabesp que vem acompanhando diariamente o nível desse manancial que integra o sistema de captação que abastece o município.

Para não colocar em risco a qualidade de abastecimento que Botucatu possui hoje – a cidade está entre os municípios com mais de 100 mil habitantes operados pela Companhia no interior do Estado que apresentam os melhores índices de regularidade de abastecimento -, a Sabesp buscou alternativas no próprio Rio Pardo visando garantir também o abastecimento de Botucatu durante a estiagem de inverno.

Uma equipe técnica da Empresa percorreu a jusante (parte de baixo, onde correm as águas) do rio em busca de afluentes que deságuam no Pardo como córregos, lençóis e minas que deixam o leito do rio mais caudaloso, ou seja, com mais volume de água. Estudos indicaram que a quase seis quilômetros abaixo da captação atual, próximo a Estância Manancial, no Bairro Duratex, existem três tributários do Pardo com bom potencial hídrico, e é nesse ponto que a Sabesp irá construir sua nova captação.

{n}Mais água{/n}

Com início nesta semana e previsão de conclusão em 90 dias, as obras da nova captação de água compreendem a execução de 8.300 metros de adutora de ferro fundido e PVC, com diâmetros entre 300 e 400 milímetros, que levará a água bruta do Ribeirão Pinheiro e mais dois afluentes do Pardo até a Estação de Tratamento de Água, além da construção de uma casa de máquinas, duas unidades de bombeamento e travessia em rodovia.

O novo sistema produtor terá capacidade para captar até 100 litros de água por segundo, proporcionando um aumento de 22% em relação ? vazão média de 460 litros por segundo ou, ainda, de 19% em relação ? vazão de pico de 520 litros de água por segundo.

Realizado com mão de obra própria da Empresa, o empreendimento será executado em uma frente de serviço com duas equipes trabalhando de sol a sol para atender a meta de entregar a obra antes do período de estiagem deste ano, que promete ser severa. A expectativa é de assentar 300 metros de rede linear por dia.

Com investimentos estimados em R$ 4,3 milhões, essa obra possibilitará ampliar o volume de água captada e garantir a qualidade e regularidade de abastecimento, dando maior segurança aos sistemas de produção e distribuição de água de Botucatu.

Desde a renovação da concessão, em junho de 2010, a Sabesp já investiu em Botucatu cerca de R$ 38 milhões, o que representa praticamente o dobro dos recursos previstos no contrato para o período, com a modernização e ampliação do sistema de fornecimento de água, coleta e tratamento de esgotos.