Prefeitura visa recuperação do Córrego da Cascata

A ONG (Organização Não-Governamental) “SOS Cuesta” apresentou o diagnóstico socioambiental da região do Córrego da Cascata, o qual compreende a primeira fase do projeto de recuperação da mesma área, apoiado pela Prefeitura de Botucatu e patrocinado pela Petrobras.

Estiveram presentes no evento o prefeito João Cury Neto; o secretário de Governo, Narcizo Minetto Júnior; o secretário de Descentralização e Participação Comunitária, João Carlos Figueroa; o secretário de Obras, Nivaldo Francisco Vizotto; representantes da Ouvidoria Geral do Município, da Vigilância Ambiental em Saúde, e outras instituições, como Fundação Florestal, Sabesp, Unesp e Cetesb.

Os dados apresentados pela equipe responsável pelo projeto compreendem a análise da água, número de nascentes que se ligam ao córrego, quantidade de bairros e moradores instalados na região, fauna, flora, tipo de solo, atrativos históricos e religiosos, saneamento e infraestrutura.

De acordo com os estudos, o Córrego da Cascata, que possui 11 quilômetros de extensão, é abastecido por 13 nascentes principais e 24 pequenos olhos d’água. A microbacia engloba 12 bairros, onde residem 3.849 pessoas.

A equipe do projeto, com a ajuda da população residente, identificou os problemas ambientais que interferem diretamente na qualidade da microbacia. Entre eles, está o assoreamento do Córrego da Cascata, causado pela ausência de curvas de nível nas pastagens e por ruas de terra localizadas nas partes mais altas da bacia sem a devida manutenção. As partículas de terra são carreadas para o riacho com as chuvas e seu acúmulo é facilmente observado na represa do Parque das Cascatas e nas proximidades do Spazio Verde.

O lixo também foi indicado pela população como um dos principais fatores de degradação ambiental, tendo sido registrado em todos os recantos da microbacia, tanto em áreas comuns, como na Rodovia Domingos Sartori, quanto em áreas de difícil acesso, como na interior das matas, onde foram encontrados vários pontos de descarte de lixo e entulho.

Recentemente foram implementadas algumas ações pela Prefeitura na microbacia com o objetivo e revitalização e recuperação do local. Entre elas, estão iluminação da Rodovia Domingos Sartori, a implantação do sistema de esgoto sanitário no bairro Santo Antônio da Cascatinha, em Rubião Júnior, e a ampliação de vagas na Rede Básica de Ensino Infantil.

A Prefeitura pretende atuar como parceira do projeto por meio do fornecimento do maquinário necessário ? execução das curvas de nível nos pastos e para o desassoreamento da represa do Parque das Cascatas. Também será planejado um mutirão de lixo e entulho, a fim de conquistar o título de “Lixo Zero” para a microbacia.

Outra ação consistirá na instalação de um “Ecoponto” no distrito de Rubião Júnior. O local será destinado ao descarte de materiais que podem ser reciclados ou reutilizados.

{n}O projeto{/n}

Em maio de 2011, a “SOS Cuesta” lançou oficialmente o projeto de caracterização, recuperação e planejamento ambiental do Córrego da Cascata, o qual conta com o apoio da Prefeitura de Botucatu e o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa “Petrobras Ambiental”, no valor de R$ 640 mil, que serão utilizados basicamente em materiais informativos ? população.

Nesse primeiro ano de execução do projeto, a equipe responsável realizou um diagnóstico social e ambiental, além de um mapeamento da área abrangida pelo córrego. Agora, o próximo passo será a elaboração de um plano de saneamento e ações práticas para a recuperação da região. Para tanto, a ONG conta com o apoio de diversas instituições botucatuenses.

{n} Sobre a ONG{/n}

A SOS Cuesta completou no ano passado 10 anos de existência em Botucatu, com atividades e ações voltadas ? preservação do meio ambiente e envolvimento da comunidade. O projeto para a recuperação do Córrego da Cascata é o segundo com patrocínio da Petrobras. Em 2008, o projeto “Ribeirão Tanquinho Vivo” previu a recuperação da nascente e mata ciliar do rio de 2,5 quilômetros de extensão, que transpassa a região Central.