Prefeitura destina R$ 3 milhões para reformar cinco escolas

Ao negociar com o Governo do Estado a incorporação de escolas dentro do processo de municipalização do ensino fundamental, o prefeito João Cury Neto impôs uma condição: receber as novas unidades escolares, só depois que todas elas passassem por um amplo processo de reforma em suas instalações. A informação veio da assessoria de imprensa do Executivo municipal.

A proposta foi aceita pela Secretaria de Estado da Educação e por meio de convênios firmados entre o município e a Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE), os recursos foram garantidos para a realização das obras em cinco escolas que serão municipalizadas: Martinho Nogueira (Boa Vista), Américo Virgínio dos Santos (Cecap), Raymundo Cintra (Vitoriana), Francisco Guedelha (Parque Marajoara) e Paulo Guimarães (Jardim Brasil).

O investimento total está estimado em R$ 3,3 milhões. Passado o período eleitoral, a Copel (Comissão Permanente de Licitações), presidida pelo advogado Fábio Valentino (foto), tornou públicos os processos para contratação das empresas que ficarão responsáveis pelas reformas. O primeiro deles é da escola Martinho Nogueira e tem a abertura das propostas marcada para o dia 5 de dezembro. A obra está avaliada em R$ 709.946,08.

No dia 6 de dezembro será a vez de conhecer a empresa responsável pela reforma da escola Paulo Guimarães. As melhorias na unidade têm custo estimado em R$ 777.343,68. No dia seguinte (7) serão abertos os envelopes das empresas interessadas em executar a reforma da escola Francisco Guedelha, orçada em R$ 485.801,28. Depois será a vez da escola Américo Virgínio dos Santos, cuja reforma está avaliada em R$ 740.655,74. A abertura dos envelopes está marcada para o dia 12 de dezembro. Finalmente, no dia 13, será conhecida a vencedora da licitação para reforma da escola Raymundo Cintra com custo estimado em R$ 682.709,69.

As obras deverão ter início durante as férias escolares com previsão de duração de seis meses. A Secretaria de Educação elaborou um plano alternativo para que os estudantes não tenham o ano letivo prejudicado. Os alunos da escola Raymundo Cintra, em Vitoriana, serão acomodados provisoriamente nas dependências do Salão Paroquial. Os alunos do ensino fundamental das escolas Américo Virgínio dos Santos e Francisco Guedelha terão aulas na Casa das Meninas e no antigo prédio da Casa Transitória. Já os estudantes das escolas Paulo Guimarães e Martinho Nogueira serão atendidos em instalações construídas junto a CEI José Luiz Amat, no Bairro Alto.