Prefeitura de Botucatu e AES Tietê definem projeto de revitalização da orla do rio bonito

Abril, mês de aniversário de Botucatu, reservará mais um grande presente para a população. Dentro do calendário de eventos em comemoração aos 161 anos da Cidade, a Prefeitura de Botucatu e a AES Tietê realizarão a cerimônia de lançamento das obras de revitalização completa do trecho principal da orla do Rio Bonito. O projeto, orçado em R$ 2 milhões, será financiado pela AES e executado pela Sampietro Engenharia.

Os detalhes finais que envolvem o início da obra foram discutidos na manhã de segunda-feira (21) no gabinete do prefeito João Cury Neto. A previsão é que os serviços sejam iniciados no mês de abril e concluídos no prazo de quatro meses. Esse grande investimento foi viabilizado por conta de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pela Prefeitura e a AES Tietê referente a ocupação irregular de uma área da empresa por famílias de pescadores no Porto Said.

As partes entraram em entendimento e encontraram uma solução criativa para um grave problema de natureza social e ambiental. A Prefeitura adquiriu uma área e colocou à disposição da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) para a construção de um conjunto de casas para os pescadores. Em contrapartida, a AES Tietê comprometeu-se em financiar o projeto de revitalização de um trecho de 800 metros da orla do Rio Bonito, além de reflorestar uma área que será transformada em um bosque.

“A AES Tietê tem se demonstrado uma grande parceira do município. Tínhamos em conjunto um problema de natureza ambiental e de importância social grande que é a ocupação do Porto Said. Para tanto foi assinado um TAC junto ao Ministério Público onde a prefeitura se obrigou a oferecer uma área para remoção dessas famílias. A Prefeitura adquiriu a área e a CDHU entrará com a construção. A AES ajudará com revitalização da orla do Rio Bonito e construção de um bosque para a população da baixada”, confirma o prefeito.

“O problema dos pescadores é uma questão de natureza humanitária. Eles vivem em condições sub-humanas, sem saneamento, em uma área ocupada irregularmente. A AES teve a sensibilidade de buscar uma solução que não fosse a mera reintegração de posse da área. A ideia é deixá-los próximos ao rio em condições de moradia digna”, completa.

O gerente de reservatórios, segurança de barragem e meio ambiente da AES Tietê, Antonio Carlos Garcia, garante que os moradores e frequentadores do Rio Bonito ficarão satisfeitos com a transformação programada para o trecho mais movimentado da orla, que aos finais de semana recebe centenas de pessoas, mas há mais de 15 anos não recebia qualquer tipo de melhoria. A última grande obra no local foi realizada em 2000, no final da gestão do prefeito Pedro Losi Neto.

“Depois de discutir o conceito com representantes da Prefeitura optamos por um projeto leve do ponto de vista de construção, que garantirá a urbanização completa daquele trecho da orla, em um período de execução bastante curto. Tenho certeza que a população ficará satisfeita com as mudanças que acontecerão no local”, afirma.

O trecho a ser revitalizado se estende das proximidades dos banheiros públicos, passando pela bica, até próximo a rampa de embarcações, no prolongamento da Rua 03. O projeto contempla calçamento da rua com bloquetes, construção de ciclovia, padronização das calçadas, pista de caminhada, deck para embarcações, píer para pesca, paisagismo, iluminação pública, quiosques, lixeiras, área para prática esportiva, academia ao livre e área para estacionamento.

“Acreditamos que até o começo de agosto conseguiremos entregar a orla do Rio Bonito totalmente revitalizada, modernizada, mais bonita. A Prefeitura fará outros investimentos que incluem segurança e a reforma do antigo camping. Vamos oferecer mais qualidade. Também estamos investindo cinco milhões de reais em parceria com a Sabesp levando esgotamento sanitário para os moradores da região. Com a AES faremos esse investimento para melhoria das condições do turismo. Vamos promover melhores condições aos moradores e aos turistas que frequentam o local. Será uma obra marcante. Não tenho dúvida”, conclui o prefeito.

(Ass. de Imprensa da Prefeitura)