Prefeitura autoriza início de obras de revitalização da orla do Rio Bonito

A Prefeitura de Botucatu promoveu na manhã do último domingo (17), a cerimônia de início das obras de revitalização completa do trecho principal da orla do Rio Bonito, no prolongamento da Avenida Gentil Lourenção. O projeto, orçado em R$ 2 milhões, é financiado pela AES Tietê e executado pela Sampietro Engenharia. A previsão é que os serviços sejam concluídos no prazo de quatro meses.

Esse grande investimento foi viabilizado por conta de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pela Prefeitura e a AES Tietê referente à ocupação irregular de uma área da empresa por famílias de pescadores no Porto Said.  As partes entraram em entendimento e encontraram uma solução criativa para um grave problema de natureza social e ambiental.

A Prefeitura adquiriu uma área e colocou à disposição da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), que já está analisando o projeto para a construção de um conjunto de casas para os pescadores. Em contrapartida, a AES Tietê comprometeu-se em financiar o projeto de revitalização de um trecho de 800 metros da orla do Rio Bonito, além de reflorestar uma área que será transformada em um bosque.

O trecho a ser revitalizado na Avenida Gentil Lourenção se estende das proximidades dos banheiros públicos, passando pela bica, até próximo a rampa de embarcações, no prolongamento da Rua 03. O projeto contempla calçamento da rua com bloquetes, construção de ciclovia, padronização das calçadas, pista de caminhada, deck para embarcações, píer para pesca, paisagismo, iluminação pública, quiosques, lixeiras, área para prática esportiva, academia ao livre e área para estacionamento.

Antonio Carlos Garcia, gerente de ativos de reservatórios da AES Tietê, valorizou os compromissos sociais e ambientais mantidos pela empresa em todos os municípios que fazem parte da sua área de atuação, além da articulação com a Prefeitura. “Foi um acordo inteligente e que deixará o Rio Bonito ainda mais bonito. Tudo isso foi possível devido a esta atual administração pública, que tem se mostrado bastante transparente e responsável”, comenta.

Para o secretário de Esportes, Turismo e Lazer de Botucatu, Antonio Carlos Pereira, as obras na orla do Rio Bonito marcarão uma nova fase do bairro. “Com certeza será um legado para Botucatu e região. O Rio Bonito é a nossa Riviera. Ele tem todo potencial para atrair hotéis e impulsionar ainda mais o nosso turismo rural e de aventura”, avalia.

Dona Vera Lucia e seu esposo, José Pinto Amaral, ambos aposentados, contam que tem propriedade no Rio Bonito há 26 anos e que nunca o bairro viveu um momento como o atual. “A limpeza do mato está mais frequente, a estrada e as ruas estão mais conservadas, a iluminação melhorou, e o bairro ganhou uma creche. A orla revitaliza é mais um presente. Valorizará ainda mais nosso bairro”, diz Vera.

Saneamento e solução aos pescadores do Porto Said

Presente também ao evento, o superintendente da Sabesp em Botucatu, Mário Pardini, lembrou que as obras na orla do Rio Bonito chegam em um momento especial vivido pelo bairro, onde estão sendo investidos R$ 5 milhões em serviços de saneamento básico.  Cerca de 60% desta obra estão concluídas, o que inclui a construção de uma estação de tratamento, três lagoas e mais de 30 km de tubulações.

“O importante é que a Sabesp, ao lado do Município, mesmo em um momento de crise a qual vive o País, não se furtou em realizar os investimentos que tinham que ser feitos em uma área afastada do centro da Cidade. São investimentos que não poderiam esperar mais tempo porque envolvem a saúde e a qualidade de vida da população”, afirma.

As obras da Sabesp realizadas no Rio Bonito também fizeram parte do discurso do prefeito de Botucatu, João Cury Neto. Na avaliação dele, o Rio Bonito não poderia ter potencial turístico sem que ao menos tivesse infraestrutura de saneamento básico para oferecer a seus moradores.

“Por anos enganaram o povo vendendo esta ideia. Mas que potencial turístico tem um lugar que não tem esgoto? Por isso articulamos junto a Sabesp a antecipação destas obras, que estavam previstas só para depois de 2020 pois entendemos que era uma obra que de fato iria transformar a vida destas pessoas. Com estas obras encaminhadas, agora sim podemos entrar com o embelezamento do bairro, começando pela revitalização desta orla”, argumenta.

O prefeito ainda enalteceu o bom dialogo mantido com o promotor de Justiça, Dr. Eduardo Zacharias e a própria AES Tietê, e que resultará na solução de moradia aos pescadores do Porto Said.

“Era uma situação dramática, sub-humana. Seria muito simples entrar com uma ação para retirar essas famílias que ocupavam esta área desde o início do ano 2000. Mas não era isso que queríamos. Agora o projeto já está em fase de aprovação junto ao CDHU e estas famílias terão uma casa digna parar morar”, garante.

(Ass. de Imprensa da Prefeitura)