Portão do EECA gera reclamação de pais de alunos

O EECA – Escola Estadual Dr. Cardoso de Almeida, está vivendo dias conturbados em razão da insatisfação de pais de alunos com relação ? entrada dos alunos que estudam no período da tarde (13 ? s 17h20), onde estão crianças do ensino fundamental (de 5ª a 8ª série). De acordo com os pais, o portão da escola, só abre quando toca o sinal de chamada para que os alunos entrem para suas respectivas salas de aulas. Enquanto o portão não é aberto, os alunos permanecem nas calçadas esperando o portão abrir.

“Em razão de o portão estar fechado fica uma aglomeração de crianças muito grande nas imediações da escola e isso acaba gerando conflitos e facilita o acesso de pessoas que não estudam se infiltrarem entre os alunos. Já reclamamos com a direção da escola para que o portão seja aberto pelo menos 15 minutos antes do início das aulas, mas a situação não se modificou. É muito mais seguro os alunos ficarem no pátio da escola, do que na rua, sequer podem usar o banheiro”, comentou uma mãe de nome Maria Lúcia.

Outro apontamento foi feito pela mãe de aluno Ana Cláudia, que alega que nesse horário muitos alunos se encontram nas imediações da escola, já que além do EECA, também é horários de entrada de alunos do Cardosinho, Santa Marcelina e Colégio La Salle.

“Por conta disso fica uma grande quantidade de alunos nas imediações da escola, por onde o fluxo de veículos é muito grande. Só do EECA são 600 alunos esperando para entrar. Por isso entendemos que a direção da escola poderia colaborar com a gente e abrir o portão com um pouco mais de antecedência, para evitar qualquer tipo de acidente com os alunos. Pode sair e perguntar para todas as mães ou pais que vão alegar exatamente isso, ou seja, que o portão seja aberto mais cedo. É uma situação muito simples de se resolver”, disse.

A reportagem do Acontece procurou a diretoria da escola para colher dela suas impressões sobre as reclamações das mães e pais de alunos, mas ela alegou que não poderia se manifestar sem autorização da Delegacia Regional de Ensino.

Também foi procurada a Dirigente de Ensino, Maria Regina Bergamasso, para que ela se manifestasse sobre o assunto ou autorizasse a direção do EECA responder as mães dos alunos. Porém, em todas as vezes que foi contatada, sua secretária, Ana Lúcia, alegou que a dirigente estava muito ocupada e que assim que tivesse um tempinho poderia atender a reportagem para dar seu parecer sobre o problema levantado.

Fontes do Acontece colocaram que o principal motivo do portão permanecer fechado e só abrir minutos antes dos alunos adentrarem a sala de aula é em razão da bagunça que os alunos fazem dentro da escola.

“O portão não permanece aberto, pois estando no pátio alunos mal educados, que são minoria, ficam correndo prá lá e prá cá, brigando, sujando o banheiro e fazendo guerra de água. Não são todos, evidentemente, e não se pode generalizar. Além disso, eles desrespeitam os funcionários. Então a direção tomou essa decisão de só abrir o portão momentos antes de o sinal tocar. Infelizmente os inocentes acabam pagando pelos pecadores”, comparou a fonte do Acontece. O jornal permanece ? disposição da Delegacia de Ensino caso queira se manifestar sobre esse assunto.

Fotos: Valéria Cuter