Polícia Militar realiza “Operação Saque Seguro”

Com a colaboração de estudantes que fazem parte do Programa Jovens Construindo a Cidadania (JCC), a Polícia Militar realizou na manhã desta quinta-feira, a “Operação Saque Seguro”, objetivando orientar os clientes sobre algumas medidas que devem tomar ao entrar e sair das agências bancárias, para evitar o risco de assalto.

A campanha faz parte das ações preventivas da PM a delitos cometidos em desfavor dos usuários do sistema bancário, as chamadas “saidinhas de banco”, sabendo-se que a violência tem sido voltada a grupos de pessoas vulneráveis (em sua maioria idosa), com emprego de “olheiros” que ficam no interior das agências, selecionando seus alvos para, posteriormente, praticarem roubo nas proximidades.

De acordo com a capitão Kátia Regina Christófalo, chefe do setor de Relações Públicas do 12º Batalhão de Polícia Militar de Botucatu (BPM/I) a iniciativa visa proteger o cidadão. “No folheto estão descritas várias dicas para que as pessoas tomem alguns cuidados básicos ao entrar e sair das agências”, frisa a capitão da PM.

O folheto ensina, por exemplo, que ao efetuar um saque, a pessoa deve evitar colocar dinheiro ou a carteira em locais de fácil acesso (bolsos, sacolas, etc) e ao entrar e sair do banco deve olhar para todos os lados e observar se há pessoas com atitudes suspeitas. Se tiver dúvida deve comunicar o segurança do banco ou a PM.

Evitar conversar com estranhos na fila, dentro ou fora do banco, principalmente, se o assunto for dinheiro também deve ser evitado, assim como tomar cuidado com a bolsa não exibindo ou retirando dinheiro em público. Outra dica é ter o dinheiro separado para pequenas despesas, andando somente com o necessário e quando tiver que sacar uma grande quantia deve comunicar a agência e fazer o saque em local reservado.

{n}Caixas eletrônicos {/n}

A campanha visa também prestar orientações para quem se utiliza dos caixas eletrônicos e uma das dicas é não demorar e para isso deve planejar, antecipadamente, a operação desejada. Observar as pessoas que estão atrás na fila e observar se elas estão respeitando as faixas que garantem a privacidade, é uma boa maneira de se prevenir.

Caso a pessoa tenha dificuldade em operar o caixa eletrônico deve solicitar ajuda a um funcionário da agência, devidamente, identificado. Antes de iniciar a transação é prudente verificar se a tela está ativa ou inoperante. Caso esteja inoperante não se deve inserir o cartão, pois pode ser o preparativo de ações de quadrilhas especializadas. No período noturno é preferível os locais iluminados e com maior circulação de pessoas.

Para finalizar a campanha ensina que a pessoa evite transitar com vários talões de cheques ou cartões e ter o cuidado para não deixar a senha junto com o cartão que não deve ser emprestado, nem cedido, pois a responsabilidade pela preservação e o sigilo da senha é de cada um.

Fotos: Valéria Cuter