Pescadores comemoram final do período da piracema

A partir deste domingo (1º de março) os pescadores poderão voltar a exercer a prática da pesca que foi interrompida em razão do período da  piracema que entrou em vigor dia 31 de novembro do ano passado e se encerrou neste sábado (28). Nesse período a pesca ficou proibida para respeitar o período de desova (reprodução) dos peixes.

Piracema visa preservar os peixes que migram para reprodução precisando nadar contra a correnteza em uma subida árdua até as cabeceiras dos rios, para se reproduzirem. Durante este evento, os peixes gastam muita energia, o que contribui para queima de gordura acumulada no corpo e se tornam presas fáceis e a captura em excesso compromete a reprodução.

Não são raros os casos em que os peixes encontram obstáculos muitas vezes fatais como barragem no leito de um rio, onde se lançam contra a parede e morrem. Esse ciclo de reprodução dos peixes acontece todos os anos e representa um exemplo de luta pela vida.

A Ambiental de Botucatu atende a 26 municípios da região, agregando uma população estimada em 500 mil habitantes e as três maiores represas do Estado de São Paulo: Barra Bonita, Chavantes e Jurumirim. O território alcança 15 mil quilômetros quadrados de área terrestre, 1.000 quilômetros quadrados de rios e 1.500 quilômetros quadrados de represas.

O comandante da Polícia Ambiental de Botucatu tenente Henrique Nascimento enfatiza que mesmo com o final da piracema é necessário que o pescador conheça seus direitos e deveres quando praticar a pesca. “A polícia tem, por força de lei, que punir aquelas pessoas que não respeitam as normas pesqueiras, que incluem tamanho de peixes, quantidade, maneira de pescar sem predação, entre outras coisas”, disse o comandante, lembrando que o telefone da Ambiental é (14) 3882-6070.