Oficina na Unesp aborda mudança no perfil do aluno

O comportamento social do jovem, seu papel como universitário e a preparação do mundo acadêmico a este novo público foi debatido nesta sexta-feira, 24 de maio, por professores das quatro unidades do campus da Unesp, em Botucatu, durante realização de oficina pedagógica promovida em conjunto pelo Instituto de Biociências de Botucatu (IBB) e Centro de Estudos e Práticas Pedagógicas (Cenepp).

Realizado no Salão Nobre da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), o evento “Práticas Pedagógicas no campus de Botucatu reuniu especialistas para ênfase nas discussões sobre a universidade nas transformações do perfil estudantil.

Na primeira análise do evento, a professora Loriza de Almeida, do campus da Unesp, de Bauru, frisou as mudanças que ocorrem dentro da sala de aula em função do perfil do aluno. Segundo ela, o professor deve compreender as mudanças de geração e o que os públicos que devem ingressar na universidade. “Vivemos um momento de ruptura comportamental. Novos costumes, atitudes e objetivos exigem maior flexibilidade. Precisamos aproveitar a oportunidade de construir uma nova sociabilidade e cultura”, disse.

Esta realidade se exemplifica na análise feita pela palestrante quanto ? s transformações ocorridas ao longo das décadas. Duas novas gerações têm sido o público de foco que a universidade deve focar sua atenção. Neste contexto estão jovens que modificaram os padrões de relacionamento interpessoal, consumo de informação, busca de conhecimento e atuação social. Profª Loriza frisou que alguns pontos merecem atenção como a formação individualista deste público, sistema cognitivo diferenciado das demais gerações e forte influência da tecnologia.

A oficina ainda teve reflexões sobre a relação entre o fazer pedagógico e o aluno, além das inserções em projetos e atividades acadêmicas. As considerações foram feitas pelas professoras Alessandra Lopes e Regina Cavalvante, também do campus da Unesp, de Bauru.

Responsável pela coordenação da oficina em Botucatu, professora Lúcia Regina Machado da Rocha, ressalta que os assuntos abordados durante a oficina são essenciais no auxílio e formulação de projetos pedagógicos que contemplem a relação da universidade, a transmissão do conhecimento e as novas gerações. “Os alunos têm novo perfil cada vez mais diferentes ao longo dos anos e os professores precisam se adequar a esta situação”, frisou.

{n}Sobre o Cenepp{/n}

Criado em 2006, o Centro de Estudos e Práticas Pedagógicas tem a proposta de manter um espaço de reflexão permanente sobre a prática pedagógica nas Unidades Universitárias da Unesp. O órgão, vinculado ? Pró-Reitoria de Graduação possui 23 comissões locais.

Fonte: Flávio Fogueral
Assessoria de Comunicação e Imprensa IBB Unesp