Munícipes ignoram campanha de economia de água

Fotos: Luiz Fernando

 

Embora uma campanha esteja sendo deflagrada em Botucatu para evitar desperdício de água e um possível racionamento futuro, algumas pessoas ainda não se atentaram quanto a gravidade da situação e ainda se pode observar pela cidade, principalmente na região central,  o uso de mangueiras para lavagem de calçadas, carros, quintais e até paredes de prédios (foto).

Embora isso já tenha sido divulgado, nunca é demais lembrar que em reunião realizada  com o prefeito João Cury Neto, o Superintendente da Sabesp de Botucatu, Mario Eduardo Pardini Affonseca fez uma explanação sobre o consumo de água no município e a queda do volume de água do Rio Pardo que abastece a represa do Mandacaru, manancial utilizado para o abastecimento na cidade.

Embora não esteja previsto um racionamento de água, o prefeito João Cury diz que a população pode contribuir de maneira significativa para evitar que isso venha a acontecer. “Não está faltando água na Cidade, mas essa situação poderá mudar se a estiagem continuar e não houver o comprometimento da população com relação a redução no consumo de água. Se houver o engajamento da população neste sentido, não teremos problemas no abastecimento”, colocou o prefeito.

Pardini explica que para que os reservatórios de água tratada continuem com níveis satisfatórios, é de fundamental importância que a população use a água de forma consciente, reduzindo excessos e evitando desperdícios. “A população pode contribuir, reduzindo o consumo, seguindo algumas dicas de uso racional para que não falte água na cidade e as recomendações são muito simples e todo mundo pode colaborar”, observou Pardini.

Entre as recomendações para economizar água, estão a de tomar banhos curtos e fechar o chuveiro ao passar sabonete; não lavar a calçada ou o carro com mangueira; antes de lavar a louça, a pessoa deve retirar o excesso de comida com a esponja, sem usar água; deixar a torneira fechada ao ensaboar; acumular as roupas para utilizar a máquina de lavar na capacidade máxima, fazendo o mesmo com a louça; e deixar a torneira fechada enquanto escova os dentes ou faz a barba.