Medicina/Unesp promove palestra sobre anemia hereditária

Na próxima segunda-feira (12), a partir das 18 horas, será realizada, no Posto da Estratégia de Saúde do Jardim Iolanda, uma palestra sobre o tema: “Traço Falciforme: Ignorar é o risco”. Com a finalidade de esclarecer a população a respeito dessa alteração genética e a importância de realizar os testes para a detecção do problema, a palestra será gratuita e toda comunidade é bem vinda. A doença hereditária é caracterizada pela alteração dos glóbulos vermelhos do sangue e é importante ser tratada nos primeiros anos de vida.

O médico hematologista e professor da Faculdade de Medicina da Unesp de Botucatu (FMB), Newton Key Hokama, explica que o traço falciforme é uma mutação genética nos cromossomos que criam a proteína chamada hemoglobina. “A pessoa com traço falciforme é normal, não tem sintomas ou repercussões em sua saúde por isso. Porém, se uma pessoa com traço falciforme se casa com alguém que seja portadora da doença, elas têm 25% de chance de ter um filho ou uma filha com anemia falciforme”.

A anemia falciforme é uma doença genética, a mais importante do Brasil, mas é pouco divulgada. Tem tratamento, mas a cura só pode ser obtida através do transplante de medula óssea, que não é acessível nem indicado para todos os pacientes, principalmente porque precisa de doador compatível da própria família. “É possível descobrir que casais têm maior risco de ter filhos com anemia falciforme através de testes acessíveis e simples. Acreditamos que é obrigação dos serviços de saúde divulgar e esclarecer a população sobre as questões genéticas envolvidas”, disse o especialista.

Esse tipo de anemia se manifesta precocemente e se caracteriza por modificações nos glóbulos vermelhos, brancos e plaquetas. O portador de anemia falciforme está sujeito a infecções e a crises de dor. O paciente, dependendo da gravidade da doença, poderá realizar várias transfusões de sangue durante a vida e deve estar sempre bem hidratado, uma vez que a desidratação favorece alterações na forma das hemácias. A anemia falciforme pode ser diagnosticada a partir da realização de um exame denominado eletroforese, que identifica diversos tipos de hemoglobina, e pode diagnosticar doenças do sangue.

Além da palestra, alunas do curso de Enfermagem da FMB oferecerão serviço de manicure ? s mulheres que comparecerem ao evento. O objetivo será pintar as unhas de vermelho, com exceção da unha do dedo anelar esquerdo, para simbolizar a necessidade de as mulheres realizarem o exame antes de colocar o anel de casamento. Para as primeiras 100 mulheres, será oferecido como brinde um vidro de esmalte vermelho.

Foto: Divulgação