Incêndios em terrenos preocupam Corpo de Bombeiros

O número de ocorrências de incêndio que estão sendo registrados em Botucatu está preocupando o Corpo de Bombeiros. Em média, 10 chamadas por dia são computadas para controlar focos de incêndio em algum ponto da cidade, assim como na zona rural.

De acordo com o comandante do sub-grupamento operacional de Botucatu, tenente Edson Winckler Filho, a maioria dos casos são provocados, pelos próprios proprietários de terrenos que querem se livrar do mato e do entulho ateando fogo no terreno.

“Com isso uma viatura que poderia estar atendendo uma ocorrência de socorro ? vítima, muita vezes está atendendo incêndio. Nessa quarta-feira, por exemplo, a equipe estava atendendo um incêndio na Rua Gastão Dal farra, quando aconteceu um desabamento na sede do Grupo da Terceira Idade. Felizmente não tivemos vítimas”, coloca o comandante.

Ele diz que está sendo elaborada uma Lei Municipal que irá punir os proprietários de terrenos, onde acontece o incêndio. “O proprietário tem que zelar pelo seu patrimônio, mantendo-o limpo. Em terreno limpo ninguém coloca fogo. Caso aconteça um incêndio ele será responsabilizado, por não cuidar do que é seu e arcará com todos os prejuízos que o incêndio vier a causar”, alerta Winckler.

Geralmente a estiagem acontece nos meses de agosto e setembro, mas como choveu muito nesta época, a estiagem está acontecendo agora. Esse descontrole de tempo é em razão da agressão que é feita contra a natureza. Os proprietários pulverizam o mato com veneno, que morre e seca.

“Um cigarro aceso jogado nesse mato seco pode gerar um incêndio de grandes proporções de difícil controle. Por isso pedimos que as pessoas se conscientizem, pois um incêndio no mato pode se propagar e atingir residências”, observa o bombeiro. “Se houver colaboração e conscientização popular, podemos não eliminar todos com os focos de incêndio, mas seguramente, conseguiremos diminuir, consideravelmente”, complementou.

Foto: Valéria Cuter