Historiadores participam do projeto Turismo Rural

Durante o segundo módulo do Curso de Turismo Rural realizado no mês de maio, os alunos da turma do Bairro Porto Said receberam a visita de dois historiadores de Botucatu: João Carlos Figueiroa e Moacir Bernardo.

Segundo a assessora do Departamento de Turismo e instrutora do curso, Luciana Alho, este módulo tratou da cultura e identidade do Município e teve um grau de importância muito maior para os participantes com a presença dos convidados. Os historiadores, durante um mês, prepararam com dedicação um material a respeito do antigo Porto Martins, hoje conhecido como Rio Bonito, para apresentação aos alunos.

“O intuito é que os alunos, após o curso, preparem um local para receber turistas que poderão conhecer sobre a história da região. Por isso eles devem saber tudo sobre o que é hoje e o que foi antes o Rio Bonito e o Porto Said”, explica.

 

Sobre o curso

A ação, que visa fornecer aos alunos técnicas apropriadas para que sejam desenvolvidos negócios de turismo em propriedades rurais, é promovida pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) em parceria com o Sindicato Rural de Botucatu e a Secretaria de Esportes, Lazer e Turismo.

O curso de Turismo Rural é formado por dez módulos, totalizando 240 horas, divididos em três dias por mês. Neste ano estão sendo realizados dois cursos no Município: um formado por proprietários de sítios e fazendas na região de Botucatu e outro por um grupo composto por pescadores da comunidade do Porto Said e Rio Bonito.

As atividades desenvolvidas com os alunos da turma do Porto Said ainda contam com apoio da Secretaria de Assistência Social e da Associação dos Trabalhadores e Funcionários Públicos Municipais de Botucatu (ATFPMB), que oferece o local para a realização das aulas.

“Sendo o turismo rural grande fonte de renda no interior do estado de São Paulo para pequenos proprietários rurais, o curso será é uma grande oportunidade para a cidade de Botucatu. Nele, o aluno adquire conhecimentos  sobre atendimento, hospedagem, gastronomia, turismo de aventura, administração e outras informações que poderão ser implantadas na propriedade rural”, destaca o secretário de Esportes, Lazer e Turismo, Antonio Carlos Pereira.