FMVZ/Unesp recebe alunos de Colômbia e Portugal

A internacionalização de suas atividades tem sido uma das principais diretrizes da Unesp com relação ? pesquisa e ao ensino. O Departamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, câmpus de Botucatu, tem colaborado com essa filosofia recebendo estudantes de outros países.

Trabalhos de pesquisa envolvendo pós-graduandos da Colômbia e Portugal foram realizados no Laboratório de Microbiologia e no Laboratório de Pesquisa em Bacteriologia da FMVZ, sob orientação do professor Marcio Garcia Ribeiro e com o suporte técnico das atividades laboratoriais do servidor Fernando José Paganini Listoni.

A colombiana Carmen Alícia Daza Bolanos desenvolveu sua dissertação de mestrado, com o título “Indicadores de qualidade microbiológica do leite de vacas criadas no sistema silvipastoril no Vale do Cauca, Colômbia”.

A pesquisa de Carmen é um exemplo de atividade com a marca da internacionalização. Seu trabalho se baseia no sistema silvipastoril de produção pecuária, muito comum na Colômbia, em que o gado têm ? disposição para a alimentação, além do pasto, pequenas árvores e arbustos, de elevado teor proteico nas folhas. São utilizadas espécies madeireiras, frutíferas e algumas específicas para a nutrição do gado. Esse sistema, incipiente no Brasil, permite maior lotação das áreas de pastagem em relação aos sistemas convencionais de criação de animais.

Os trabalhos desenvolvidos na Colômbia e em outros países que utilizam o sistema são muito focados na verificação do teor de proteínas e nutrientes nas gramíneas. O trabalho de Carmen buscou avaliar a qualidade do leite produzido nesses sistemas. O leite estudado foi produzido pela cooperativa colombiana Cogancenvalle e analisado nos laboratórios da FMVZ.

Foi constatada a adequação do leite aos padrões básicos de qualidade, com elevado teor de proteína. A pesquisa também apontou a necessidade de melhor controle do uso de antimicrobianos no tratamento dos animais para evitar resíduos do leite. “É um trabalho inédito no país que, poucos meses após sua conclusão, já foi aprovado para publicação na revista Pesquisa Veterinária Brasileira, um dos melhores meios de divulgação de trabalhos nacionais na área de Medicina Veterinária”, conta o professor Marcio.

Formada em Medicina Veterinária pela Universidade de Nariño em 2009, Carmen sempre quis trabalhar com pesquisa. Ouviu diversos testemunhos de colegas colombianos que estudaram no Brasil e gostaram da experiência. Carmen pesquisou sobre as instituições brasileiras na internet e, após contatos por e-mail com o professor Marcio, visitou Botucatu para conhecer a Faculdade, conhecer pessoalmente seu orientador e definir as possibilidades da pesquisa.

A intenção inicial de Carmen era fazer o mestrado e replicar o conhecimento adquirido aqui no seu país, mas com a satisfação pelo bom trabalho desenvolvido na FMVZ ela decidiu fazer também o doutorado. A ideia é manter a mesma linha de pesquisa com patógenos no leite de vacas.

Continuar mais um período no Brasil não será problema para a doutoranda. Ela está totalmente adaptada ao país. “As nossas culturas têm suas diferenças, mas são parecidas. Eu consegui me acostumar bem, gosto muito da cidade e aqui na Faculdade as pessoas são calorosas, amáveis e colaboram em tudo”.

Além de Carmen, nos meses de outubro e novembro de 2013, o Departamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública recebeu a estudante Ana Filipa Pereira, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro de Portugal. Cursando o sexto ano de Medicina Veterinária, paralelamente ao Mestrado (que ela deve defender em agosto de 2014), num sistema diferente do brasileiro, ela desenvolveu seu estágio na FMVZ.

Em Portugal ela é orientada pela professora Ana Cláudia Coelho, do Laboratório de Microbiologia Médica, do Departamento de Medicina Veterinária. O professor Marcio Garcia Ribeiro foi o coorientador.

A estudante portuguesa participou do trabalho “Infecções do trato urinário em cães e gatos: estudo retrospectivo da etiologia, aspectos epidemiológicos e perfil de sensibilidade microbiana in vitro dos isolados”, que envolveu cerca de mil amostras encaminhadas para o diagnóstico no Laboratório de Microbiologia da FMVZ nos últimos dez anos.

“As infecções do trato urinário (ITU) são uma das mais frequentes afecções dos animais de companhia, causadas principalmente por bactérias. São mais comuns em cães do que em gatos, em animais do sexo feminino e animais idosos”, explica o professor Marcio. “Aproximadamente 15% dos cães desenvolvem ITU pelo menos uma vez na vida”.

Ana gostou da experiência do estágio no Brasil. “Foi muito útil para mim em termos profissionais, pois me permitiu aumentar as minhas capacidades de atender o paciente e o proprietário. Senti que nos deixavam fazer e aprender toda a prática. Tive contato com doenças diferentes ? quelas a que estava habituada aqui e Portugal. Todo o mundo me ajudou e me ensinou e por isso foi muito agradável”.

Fazer um estágio em outro país era um sonho da estudante. As informações que tinha do Brasil e a facilidade com a língua também pesaram em sua escolha. “Descobri que a Unesp era a melhor faculdade da América Latina. Sem pensar duas vezes entrei em contato com o professor Márcio, da área em que eu pretendia realizar o meu estágio”.

Em termos pessoais, Ana também considerou a experiência enriquecedora. “Adorei o país, as pessoas, as comidas, tudo. A experiência me fez crescer, me ensinou a ser um pouco mais destemida e me fez pensar de maneira diferente em relação a determinadas situações do dia a dia. Minha vontade é voltar e repetir”.

Atualmente, o professor Marcio está em tratativas para fazer a orientação, em 2015, do doutorado de um médico veterinário oficial do Serviço de Saúde Animal do México. “É muito positivo receber os estrangeiros. As culturas e as formações são diferentes, então há sempre uma troca de informações. É gratificante saber que a universidade faz o seu papel social de formar recursos humanos para a geração da ciência”.