Floresta imortaliza Irmãos Villas Bôas em Botucatu

“Nós trouxemos a notícia de que eles (os índios) constituem uma sociedade mais tranquila, alegre. Ali, ninguém manda em ninguém. O velho é o dono da história, o índio o dono da aldeia, e a criança dona do mundo”. As palavras de Orlando Villas Bôas, agora estão marcadas para sempre em Botucatu, na placa de madeira que demarca a Floresta Irmãos Villas Boas, localizada junto ? Escola do Meio Ambiente (EMA).

A justa homenagem aos maiores indigenistas e sertanistas brasileiros foi concretizada na cerimônia realizada no último dia 23 de setembro. Com exceção de Álvaro, natural de São Paulo, os outros três irmãos estabeleceram fortes raízes em Botucatu, sendo que Cláudio e Leonardo efetivamente nasceram no Município. Já Orlando, segundo a própria família, teria nascido em Santa Cruz de Rio Pardo.

A área verde, com pouco mais de oito hectares, foi cedida ao Município pelo Governo do Estado em 1984, na primeira gestão do prefeito Jamil Cury. No local, a Escola do Meio Ambiente recebe anualmente cerca de 15 mil estudantes do Município e região que fazem trilha pela floresta totalmente preservada.

“Aqui elas aprendem a conviver com a natureza. A floresta desperta a inteligência, o lado físico, emocional e espiritual dessas crianças. Foi isso o que os irmãos Villas Bôas fizeram, eles se diferenciaram dentre muitos de sua época. Nossa escola não tem paredes. Nossa sala de aula é a floresta, o cerrado, a represa, a natureza, e poucos no mundo têm o privilégio de ter essa floresta, que tem a honra de ter esse nome: Irmãos Villas Bôas”, discursou Eliane Gabriel, diretora da EMA.

Outra ilustre presença no evento de nomeação da floresta foi da embaixadora do Ano Internacional das Florestas no Brasil e apresentadora da TV Record, Chris Flores, que se surpreendeu com a beleza do local e estrutura dada pelo Poder Público para manutenção da área. “A gente noticia, quase todos os dias, histórias de bullyng, de desrespeito na porta das escolas, dentro das casas. E o que eu vejo aqui [em Botucatu] é uma luz no fim do túnel. Isso só demonstra respeito com o ser humano, e isso é o maior legado que um educador pode deixar para uma criança. Para mim, pessoalmente, os irmãos Villas Bôas foram os grandes descobridores desse Brasil. Espero que esse respeito que eles tiveram ao descobrir o nosso País sirva de exemplo para todos nós”, discursou.

{n}Os Villas Bôas{/n}

Membros da família Villas Bôas também compareceram ? homenagem. Orlando Villas Bôas Filho, primogênito do sertanista, fez questão de relembrar o contexto histórico que o pai e tios viveram quando participaram em 1943 da chamada “Marcha para o Oeste”, uma expedição rumo ao interior do Brasil cuja finalidade principal era de manter a soberania do Estado Brasileiro em relação ao seu território que começava a ser contestado por essas potências europeias. Na oportunidade, ele também agradeceu o convite da Prefeitura de Botucatu e a homenagem feita ? sua família.

“Me toca, de uma maneira muito profunda, poder voltar ? terra natal dos meu tios e ? terra que acolheu o meu pai na infância. Eu posso imaginar meu pai correndo por matas como essa e talvez se sensibilizando por uma mudança de rumo na história do Brasil. Em nome dos meus familiares, e como um botucatuense indireto, que eu me considero ser, é com satisfação que eu vejo esse lugar ser direcionado ? preservação de um ideal de vida que, repito, encontra raízes na sensibilidade do povo de Botucatu”, colocou.

A mais emocionada era dona Marina, que foi casada com Orlando Villas Bôas por mais de 30 anos. “Eu estou muito emocionada e gostaria apenas de agradecer e dizer que esta homenagem não poderia ser mais apropriada a todas as pessoas que passaram aqui, defendendo a natureza, as cabeceiras dos rios, as florestas, e o ser humano”, disse. Em seu dedicado e obsessivo trabalho de enfermeira, ela ajudou a oferecer saúde a milhares de indígenas durante 20 anos no Parque Nacional do Xingu. “Ter sido protegida pelos irmãos Villas Bôas e os índios, e ter convivido com eles, foi uma experiência muito forte. Como única mulher civilizada no meio deles, eu me sentia uma rainha porque era muito paparicada”, lembra.

Orlando, Cláudio, Leonardo e Álvaro Villas Bôas se notabilizaram pelo trabalho de contato e proteção dos índios brasileiros e a construção de uma política indigenista no Brasil. Segundo a Fundação Nacional do Índio (Funai), os Villas Bôas começaram a estabelecer contato amistoso com os povos que vivem nas cabeceiras do Rio Xingu na década de 40.

Após esse trabalho, que iniciou a criação de laços de confiança com falantes de quatro famílias linguísticas diferentes, os irmãos decidiram permanecer no Xingu. O objetivo era desenvolver um programa de proteção aos índios, com a garantia de um território onde pudessem manter seus modos tradicionais de organização social e econômica.

Em grande parte, devido ? ação dos Villas Bôas, em 19 de abril de 1961 foi assinado o decreto de criação do Parque Nacional do Xingu. A reserva foi dirigida pelos irmãos durante vários anos.

{n}Educação e preservação{/n}

Pelo Poder Público Municipal, o prefeito de Botucatu, João Cury Neto, e o secretário municipal de Educação, Narcizo Minetto Júnior, também exaltaram o trabalho único realizado no Município através da EMA. “Isso é uma ilha dentro de Botucatu. A Escola do Meio Ambiente é uma pérola na Cidade, é vida, é pulmão. Essa escola alcançou a sua identidade. Nós não temos medo do diferente, porque o diferente para nós pode nos ensinar muito, nós não temos medo dos iguais, porque eles também podem nos ensinar muito, mas só vamos fazer isso se mantivermos o mesmo espírito dos irmãos Villas Boas”, destacou Minetto. “Temos aqui uma área que já era utilizada por nós, e estamos acoplando mais 300 mil metros quadrados, que era uma área do Governo do Estado. E aqui é a nascente do Ribeirão Lavapés, o ribeirão urbano mais importante da Cidade. A partir de agora este local receberá todo o cuidado necessário da Prefeitura de Botucatu e será objeto de uso para educação das nossas crianças, principalmente aos alunos da rede pública”, afirmou Cury.

Além de receber a benção do Frade Franciscano, Moacir Fortes, do Santuário Nossa Senhora de Lourdes de Botucatu, a floresta Irmãos Villas Boas recebeu o plantio de uma nova muda de ipê amarelo. Na ocasião, uma garrafa pet, com mensagens e objetos relacionados ? floresta, também foi enterrada na entrada da trilha. A intenção é que no ano de 2021, quando se comemora a primeira década do Ano Internacional das Florestas, o material seja desenterrado, com a presença novamente de membros da família Villas Bôas.

A Escola do Meio Ambiente, pertencente ? Secretaria Municipal de Educação de Botucatu, foi inaugurada no dia 12 de abril de 2005. Em 2009 a escola recebeu o selo “Aqui se Brinca”, da Unilever e, em 2010, recebeu a certificação de escola associada ? Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

Aqueles que desejam marcar visitações ? Floresta Irmãos Vilas Boas podem entrar em contato pelo telefone o 3813-9251. A Escola do Meio Ambiente está localizada junto ? Estrada Municipal José Ítalo Bacchi s/nº, no Jardim Aeroporto.

Por: Igor Medeiros
Fotos: Marco Magnoni