Estrada de acesso a Piapara está virando um “lixão”

Uma situação complicada está vivendo os moradores da região da Cohab IV/Jardim Bandeirantes com o crescimento gradativo de um depósito de lixo que está se formando nas imediações do Colégio Ceplasb La Salle, Escola de Educação Infantil, pela estrada de terra Elias Alves, que dá acesso ao Bairro de Piapara. O cenário que se apresenta é de um lixão, no entorno de uma erosão causada pelas chuvas.

No local estão sendo jogados animais mortos, móveis velhos como sofás e armários e uma infinidade de produtos plásticos, papel, entre muitas outras coisas. Além do mau cheiro, o local está se transformando em verdadeiros criadouros de animais e insetos peçonhentos. Outro agravante é que pessoas estão remexendo o local ? procura de objetos que possam usar ou vender.

Uma moradora que pediu a omissão de seu nome disse que esta semana um cidadão de forma descarada, segundo ela, chegou num carro modelo Pampa de placas DCH-1099 e como se fosse natural, descarregou a quantia equivalente a uma caçamba de lixo e foi embora na maior tranquilidade.

“É necessário que uma medida seja tomada, mas o que fazer sozinha diante disso? Não desejo ter meu nome divulgado, mas precisamos que as autoridades saibam, pois em virtude das constantes chuvas de verão é evidente que ali se proliferarão espécies de mosquitos (dengue) e demais insetos, fato que afeta a população como um todo não é?”, disse a mulher.

Ele revela que colocou seu problema no facebook, mas algumas pessoas distorceram sua intenção de alerta e culparam o prefeito João Cury pelo fato. “Não foi justo. O prefeito não tem nada com isso, pois são pessoas que vem de outros bairros em seus veículos para depositar o lixo aqui. Vou dizer outra coisa: até moradores aqui do bairro fazem isso. Eu só peço que alguma coisa seja feita para acabar com isso, até porque educação e cidadania vem de berço”, colocou. “Por isso procurei vocês (do Acontece) para me ajudar a divulgar isso e encontrar uma maneira de punir os responsáveis”, complementou.

O secretário de Meio Ambiente, Perseu Mariani, está ciente desse problema e no ano passado promoveu palestras aos moradores daquela região para orientar e conscientizar sobre o tratamento do lixo. Ele enfatiza que é um caso de educação já que a grande maioria do lixo é despejada no local por moradores de outros bairros e isso se caracteriza em crime contra o Meio Ambiente.

“Estaremos encaminhando uma equipe ao local para proceder nova limpeza, mas precisamos contar com a ajuda da comunidade para que fiscalize e denuncie quando detectar que pessoas estejam depositando lixo naquele local”, orientou Mariani. “Se trabalharmos em conjunto poderemos diminuir sensivelmente esse problema, mas as denúncias têm que ser feitas”, complementou. As denúncias podem ser feitas por telefone na secretaria de Meio Ambiente (3882-1290), Vigilância Ambiental em Saúde – VAS (3813-5055 ou 150), Polícia Militar Ambiental (3882-6070) e Guarda Civil Municipal – GCM (199).