Ensino Superior Privado debate a gestão no setor

Tendo como tema central “Os Desafios dos Líderes no Ensino Superior”, o 13º Fórum Nacional de Ensino Superior Particular Brasileiro (FNESP) reuniu nos dias 29 e 30 de setembro, em São Paulo, um grupo de especialistas nacionais e internacionais para debater a gestão das IES particulares, compatibilizando a oferta de conteúdo acadêmico com as melhores práticas de governança corporativa, com foco na atuação de seus dirigentes.

Promovido pelo Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo (Semesp), o 13º FNESP trouxe ao Brasil importantes personalidades ligadas ? área educacional internacional, como o Prof. Daniel Samalovich, do Programa Columbus da França; Prof. Ricardo San Martin Gamboa, da Universidade Católica do Chile e especialista em inovação e empreendedorismo; e o Prof. Peter Dourmashkin, do MIT (Massachusetts Institute of Technology).

Entre os palestrantes brasileiros, o evento contou com Álvaro Neves, pesquisador da Harvard University e membro do Mazur Group, além de outros especialistas, entre empresários, diretores e reitores acadêmicos.
A presidente da UNIFAC (Faculdades Integradas de Botucatu), Profª Cecilia Anderlini, os colaboradores Daniela Anderlini, Ferruccio Monti, Leone Simonetti, Vania Araújo, Renata Coutinho e os professores Rodrigo Casalli, Guilherme Garcia e Bruna Bonalume, também estiveram presentes no encontro.

A palestra de abertura do FNESP, que reuniu mais de 500 representantes do ensino superior privado do Brasil, foi realizada pelo Técnico da Seleção Masculina de Vôlei do Brasil, Bernardinho Rezende, o Bernardinho, que em sua fala deixou claro o eixo central de suas ações.

Logo no início de sua apresentação, que durou cerca de 60 minutos, o técnico, que também é economista de formação, reforçou a importância da capacitação em todos os setores, como forma de se obter sucesso. Ninguém é melhor do que ninguém. O importante não é ser apenas bom naquilo que se faz, mas, acima de tudo é preciso estar capacitado, avaliou.

Bernardinho também comentou sobre a necessidade contínua de se buscar eficiência e o papel do líder. É quase uma conta. Muita determinação associada ao talento é igual a ídolos ou marcas. Ai entra o papel do líder em qualquer setor, que é extrair de sua equipe o melhor.

Para o técnico, todos precisam assumir suas responsabilidades e, assim como nas quadras, os educadores e coachings (técnicos) precisam ter uma relação de parceria para liberar o potencial das pessoas de forma a maximizar as suas potencialidades e, ainda, aconselhou: “Não existe a melhor forma de liderar, existe a sua forma. Só não perde, quem não joga”.

“Nós da UNIFAC estamos sempre presentes a eventos desse porte, podendo inserir em nossa estrutura acadêmica, melhores práticas do atual conceito da relação ensino-aprendizagem, baseado na interdisciplinaridade e na construção do conhecimento necessário ? s escolhas feitas por nossos alunos”, explica a profa. Cecília Anderlini, que além de presidente da IES também é diretora do Semesp.