Crianças fazem bloqueio educativo no trânsito

Foi realizado nesta segunda (23), pela Secretaria Municipal de Transporte (Semutran) em parceria com o programa “Patrulha da Paz”, da Guarda Civil Municipal, o Bloqueio Educativo da Campanha de Trânsito. A ação celebrou o Dia Nacional de Trânsito, no sábado (21), e teve como objetivo a conscientização dos motoristas para um trânsito mais seguro.

Dois bloqueios foram realizados. O primeiro, na parte da manhã, se concentrou no Largo da Catedral e o segundo, ? tarde, foi realizado na Praça Coronel Moura (Paratodos), em frente ? Base Integrada de Segurança. Segundo Rodrigo Fumis, fiscal de Tráfego e Transporte da Semutran, Botucatu foi uma das poucas cidades do País a promover uma ação em comemoração ao Dia Nacional de Trânsito.

Participaram da atividade 12 alunos, do quinto ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental “Prof. Luiz Tácito Virgínio dos Santos”, do Jardim Flamboyant. As crianças, com a ajuda dos policiais, paravam os veículos para fazer a entrega de panfletos e orientar os motoristas sobre o uso do cinto de segurança, da viseira no capacete dos motociclistas, além de explicar sobre os perigos do uso do celular quando se está dirigindo.

O Dia Nacional pela Paz no Trânsito faz parte da campanha “Década de Ação para a Segurança Viária”, elaborado na Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), realizada em março de 2010, no qual compromete os países signatários da resolução, entre eles o Brasil, a desenvolverem nos próximos dez anos ações concretas para a redução em 50% do número de feridos e mortes causadas no trânsito.

Botucatu está integrada a essa campanha, e tem como obrigação realizar ações para reforçar a segurança no trânsito. Os contadores regressivos, já instalados na Cidade, são um dos principais projetos que fazem parte dessa campanha. Em um comparativo entre os anos de 2010 e 2011, a diminuição de acidentes nos cruzamentos com contadores é impressionante. Em um ano, os acidentes com vítimas foram reduzidos em 36% e os acidentes sem vítimas em 24%.