Centro usa cavalo para ministrar aprendizado a alunos

Através da secretaria de Educação, na tarde desta terça-feira (28), o Centro de Equoterapia de Botucatu, localizado no Rancho São Francisco, na Rodovia Gastão Dal Farra, km 4,5, próximo a Estância Demétria, realizou uma apresentação com os alunos participantes do Projeto Equoterapia. O projeto é direcionado para alunos de 1º a 4º série que possuem dificuldades de aprendizagem, hiperatividade, déficit de atenção, dislexia e problemas de comportamento como conduta de agressividade e dificuldade de socialização.

A apresentação, direcionada aos familiares e também aberto ao público mostrou um pouco das habilidades adquiridas pelos alunos, como a prática da equitação, equilíbrio, coordenação e postura. No evento também houve exposição de pôster com trabalhos demonstrando o resultado do apoio educacional efetuado pelo Centro de Equoterapia de Botucatu com relação aos alunos participantes.

Cerca de 40 alunos da rede municipal do Ensino Fundamental (Cardoso de Almeida, Rafael de Moura Campos, Jonas Alves de Araújo e Antenor Serra), e 10 alunos da Escola Especial Nair Peres Sartori participam do projeto que é realizado uma vez por semana no Rancho São Francisco. Os diretores e coordenadores das escolas selecionaram os alunos e além da equitação foram desenvolvidas outras atividades visando a responsabilidade e disciplina.

A equoterapia é trabalhada por uma equipe formada por dois fisioterapeutas, duas instrutoras, uma psicopedagoga e dois auxiliares. Segundo instrutora de equitação, Maria Gabriela Araújo, “a equitação pode ajudar as crianças com exercícios para equilíbrio, coordenação, postura e concentração”.

{n}Sobre a Equoterapia{/n}

A equoterapia é um método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência e/ou com necessidades especiais. Ela emprega o cavalo como agente promotor de ganhos físicos, psicológicos e educacionais.

Esta atividade exige a participação do corpo inteiro, contribuindo, assim, para o desenvolvimento da força, tônus muscular, flexibilidade, relaxamento, conscientização do próprio corpo e aperfeiçoamento da coordenação motora e do equilíbrio. A interação com o cavalo, incluindo os primeiros contatos, o ato de montar e o manuseio final, desenvolve novas formas de socialização, autoconfiança e autoestima.

{n}Objetivos{/n}

A prática da equoterapia objetiva benefícios físicos, psíquicos, educacionais e sociais de pessoas com deficiências físicas ou mentais e/ou com necessidades especiais, como deficiências físicas ou mentais causadas por lesões neuro-motoras de origem encefálica ou medular; patologias ortopédicas congênitas ou adquiridas por acidentes diversos e disfunções sensório-motoras ou necessidades especiais causadas por necessidades educativas especiais; distúrbios evolutivos e comportamentais e de aprendizagem.