Alunos experimentam metodologia de ensino diferente

Entre os dias 13 a 17 de agosto, os estudantes do segundo ano do curso de Medicina da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) tiveram uma pausa das tradicionais aulas, em que o professor passa o conteúdo e o aluno o assiste. Isso porque foi promovida pelo Conselho de Curso, que reúne representantes de todos os departamentos da FMB, a Semana de Integração Básica Aplicada.

Realizada anualmente com os alunos do segundo ano da graduação, a Semana busca fazer com que eles passem a estudar e entender as disciplinas e matérias abordadas no curso de maneira integrada e não isoladamente pela Metodologia de Ensino Baseada em Problema. Nesse método, é apresentado um caso, ou doença, para que os alunos procurem compreendê-lo, debatam, e através da iniciativa própria de estudo e atividades práticas desenvolvam o conhecimento.

A cada edição da Semana de Integração Básica Aplicada o tema principal torna-se diferente. Em 2012, o problema abordado foi a Demência. Os estudantes foram expostos a exemplos de casos de demência e realizaram entrevistas com pacientes, atividades de desenvolvimento de habilidades com peças anatômicas, avaliação cognitiva de portadores de demência e análise de neuroimagens.

A coordenadora da Semana, professora Adriana Polachini do Valle, que ministra a disciplina de Semiologia, destaca que é importante aproveitar essa oportunidade de mostrar aos alunos uma metodologia de ensino que seja diferente da tradicional. “Durante a Semana de Integração Básica Aplicada os alunos são estimulados a estudar sozinhos, buscar sozinho o próprio conhecimento”, afirma Polachini.

A dinâmica toda é realizada separando os estudantes em grupos de até 10 membros, sempre liderados por professores tutores. Dessa forma o problema é debatido e as questões mais importantes são levantadas sobre o diagnóstico, desenvolvimento e tratamento da doença.Na quinta-feira, penúltimo dia, todos foram reunidos e puderam tirar dúvidas com especialistas em lidar com casos de demência, como psicólogo, terapeuta ocupacional e geriatra.

{n}Tecnologia na Educação{/n}

Na sexta-feira, 17, último dia, o encerramento foi constituído de uma aula mais descontraída em que uma série de questões foi exposta sobre o tema da semana para avaliar o aprendizado dos alunos. De sua cadeiras os estudantes puderam escolher, por meio de um controle remoto, a alternativa mais adequada para cada pergunta, segundo sua concepção. As indicações foram computadas eletrônicamente. Houve apoio do Núcleo de Educação ? Distância e Tecnologias da Informação em Saúde (NEAD.TIS) nessa aula de avaliação interativa.

“O resultado alcançado é muito positivo. Foi possível perceber que com outra metodologia de ensino os alunos também aprenderam e alcançaram um ótimo resultado na avaliação”, completa a professora Adriana.

Fonte: Sérgio Viana
Assessoria de Comunicação e Imprensa