Alunos da FMB superam média nacional do Cremesp

Em novembro de 2012, os formandos do curso de graduação em Medicina da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB) realizaram o exame do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) e alcançaram o 9º lugar na classificação entre as 28 escolas/cursos de medicina do Estado de São Paulo. Inscreveram-se 2.943 formandos e 2.411 realizaram a prova.

Também realizaram o exame recém-formados de 51 diferentes cursos de medicina de outros estados brasileiros (347, do total de 2.872 presentes). Como irão se registrar no Cremesp e atuar no Estado de São Paulo, eles também fizeram a prova. Esta foi a primeira edição do exame obrigatório a todos os formandos de Medicina.

Das 28 escolas médicas paulistas, cujos formandos fizeram o exame, 12 tiveram mais de 60% de acertos. A média geral foi de 57,5% e os formandos de FMB/Unesp atingiram 64,2% de acertos. O melhor desempenho da FMB foi na área de Bioética (75,7%), seguida das áreas de Obstetrícia (72,7%) e Clínica Cirúrgica (71,1%).

Acerto abaixo de 60% (no geral) e por área de conhecimento é considerado insatisfatório pelo Cremesp. Asssim, o exame de 2012 demonstra que há deficiências na formação dos estudantes em campos essenciais do conhecimento médico. Chamou a atenção o baixo índice de acertos em Saúde Mental (média de 41% de acertos), Saúde Pública (46,1%), Clínica Médica (53,1%) e Ginecologia (55,4%).

Dentre o total de participantes, formados em escolas médicas do Estado de São Paulo, 54,5% foram reprovados no Exame do Cremesp, pois acertaram menos de 60% da prova, ou seja, menos de 71 das 120 questões.

A partir de 2012, a Resolução Cremesp nº 239 estabeleceu que, para obter seu registro profissional, os egressos dos cursos de Medicina apresentem uma declaração de realização do Exame. O registro não será condicionado ao resultado, mas ? participação do graduado na prova. A iniciativa desta obrigatoriedade foi tomada em decorrência da queda acentuada na qualidade do ensino médico.

Segundo o vice-diretor da FMB/Unesp, professor José Carlos Peraçoli, apesar da escola ser contrária a realização e a obrigatoriedade do exame, por considerar que esse modo de avaliação é simplista e sem eficácia para atingir o objetivo do Cremesp, a colocação dos fomandos, pelo critério adotado pelo Conselho, entre as 12 escolas que obtiveram acima de 60% de acertos, mostra que o curso está no caminho certo. “A colocação em 9º lugar, independente de fatores que possam ter contribuído para isso, indica que temos que melhorar. Acredito que o novo currículo que está sendo elaborado trará grande contribuição”, avalia.

Fonte: Leandro Rocha
Assessoria de Comunicação e Imprensa da FMB