Água do Rio Lavapés tem melhoria na qualidade

Os investimentos realizados pela Sabesp em saneamento básico nos últimos anos, já tem dado resultados nas melhorias dos afluentes do Rio Tietê. É o caso do Rio Lavapés, da Bacia Hidrográfica Médio Tietê/Sorocaba, um dos principais mananciais que cortam a parte central do município de Botucatu.

Com a aplicação de recursos, o Lavapés foi promovido da classe de qualidade de água de 4 para 3, de acordo com os termos da Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiental (Conoma).   O trecho considerado, que compreende 2,8 km de extensão, é da nascente até a sua confluência com o Córrego do Debruado.

“A Sabesp, por meio de um programa amplo de coleta e afastamento de esgoto, proporcionou nos últimos 2 anos uma melhora evidente na qualidade da água do Rio Lavapés. Este fato foi fundamental para o reenquadramento da classe do rio, tornando possível o aproveitamento deste manancial para o abastecimento da população de Botucatu, quando for necessário o complemento do fornecimento de água”, disse Mário Eduardo Pardini Affonseca, superintendente da Sabesp da região.


O reenquadramento do referido corpo hídrico foi aprovado e regulamentado pelas agências ambientais e o Conselho Estadual de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo.  A Sabesp, que é responsável pelo tratamento e distribuição de água, coleta e tratamento de esgoto no município de Botucatu, além dos recursos aplicados na região, tem intensificado os trabalhos de despoluição do corpo hídrico desde 2012, quando a empresa fez uma parceria com a ONG SOS Cuesta para desenvolver trabalhos de conscientização ambiental na sociedade.

Um dos maiores desafios enfrentados pela companhia de saneamento na despoluição do rio são as chamadas cargas difusas – o descarte de lixo irregular-, ligações de esgotos clandestinas e o vandalismo nos sistemas da empresa, por exemplo.   

 

Médio Tietê

Segundo Pardini a  Sabesp está investindo R$ 217 milhões em 32 importantes obras de coleta, afastamento, revitalização e construção de novas estações de tratamento de esgotos para universalizar o saneamento nas sedes das 33 cidades operadas pela Unidade de Negócio Médio Tietê. O resultado desse aporte já pode ser sentido pela população com a despoluição das bacias Tietê/Jacaré, Sorocaba e Médio Tietê, além da bacia dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí.

Estes investimentos foram decisivos para a melhoria da qualidade dos rios da região, com a despoluição de córregos e cursos d’água que deixarão de receber as cargas poluidoras, em função da eliminação dos esgotos in natura, contribuindo para a melhoria da qualidade das águas do principal rio paulista, que é o Tietê, e para rios afluentes, como o Sorocaba, Sarapuí e Represa de Itupararanga.

Dessa forma, foi resgatada a biodiversidade aquática que estava ameaçada há anos, devolvendo o equilíbrio necessário à vida desse importante rio e, contribuindo para com a sustentabilidade dos ecossistemas naturais, com consequências diretas na fauna, flora e saúde pública.

 

Da Assessoria