1.300 alunos recebem certificados de conclusão do PROERD

Foram 1.300 alunos em idade de 10 e 11 anos que cursam o 5º ano de 21 escolas (municipais, estaduais e privadas) de Botucatu que receberam o certificado de conclusão do Programa Educacional de Resistência ? s drogas e ? Violência. A solenidade que contou com a presença de várias autoridades da Cidade aconteceu na manhã desta sexta-feira (25) no Ginásio Municipal de Esportes Dr. Mário Covas Júnior. O cerimonial do evento foi feito pela chefe de setor de Relações Públicas do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I), capitão Kátia Regina Christófalo.

Após a formação da mesa de autoridades, foi cantado o Hino Nacional Brasileiro e a Canção do Município, antes da apresentação dos três policiais que foram responsáveis pela instrução dos alunos: Aline, Benedito e Pontes. Na sequência, alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) que fazem parte do Grupo Abaiomi realizaram uma apresentação de danças nordestinas, com instrumentos e trajes típicos. A coreografia foi da professora Ana Luíza.

Antes de chamar os alunos que se destacaram no programa e receberam medalhas de Honra ao Mérito, em suas respectivas salas de aula, a capitão da PM fez uma explanação sobre o programa, enfocando sua finalidade de ensinar os jovens a se prevenirem contra as drogas e reduzir a violência.

Kátia Regina ressaltou que o programa envolve polícia, escola, família e a comunidade na discussão da problemática das drogas e da violência. “Também visa (o programa) desenvolver uma ação pedagógica de prevenção ao uso indevido de drogas e a prática da violência nas escolas, assim como o espírito de solidariedade, de cidadania e de comunidade na escola”, disse.

O instrutor PM Pontes falou sobre a solenidade. “Hoje estamos concluindo mais uma etapa do programa que certificou, este ano, 1.700 alunos. Só hoje (no ginásio) foram 1.300 que receberam seus certificados. Esta solenidade bonita que estamos presenciando deixa na gente aquela sensação de dever cumprido. É gratificante para todos nós contarmos com tantos alunos engajados nesse programa”, comentou Pontes.

A policial Aline revela que o programa não fica restrito apenas ? s salas de aula. “Esses meninos que receberam seus certificados de conclusão do curso serão multiplicadores na prevenção das drogas e da violência, levando esse programa, também para fora das salas de aula. Esse é o objetivo primordial do programa”, colocou.

E o PM Benedito complementa: “Outro ponto importante é promover o desenvolvimento de valores positivos e fortalecer a auto-estima das crianças e dos adolescentes e sensibilizá-los para que desenvolvam estilo de vida saudável, orientando os alunos para que reconheçam e resistam ? s pressões diretas ou indiretas que poderão influenciá-los a experimentar drogas ou mesmo a agirem com violência”.

{n}PROERD{/n}

É um programa de caráter social e preventivo posto em prática em todos os estados do Brasil, por policiais militares devidamente selecionados e capacitados. É desenvolvido uma vez por semana em sala de aula, durante três meses, em média, nas escolas de ensino público e privado para os alunos que estejam cursando o quinto ou sétimo ano do ensino fundamental.

Através do livro do estudante PROERD, os conteúdos são desenvolvidos de forma dinâmica em grupos cooperativos, onde nas aulas são realizadas atividades voltadas ao desenvolvimento das habilidades individuais para que a crianças e os jovens possam tomar suas decisões de forma consciente, segura e responsável.

O programa também é desenvolvido ? família, em um curso específico para pais ou responsáveis, durante um mês, uma vez por semana, com duração de duas horas cada encontro.

Em 2010 o PROERD iniciou o programa para Educação Infantil, com o objetivo de possibilitar o reconhecimento de situações que possam comprometer a segurança e saúde dos alunos. É composto por lições com atividades orientadas para a pré-escola e anos iniciais do ensino fundamental, com objetivo de levar o aluno a participação e interatividade nas discussões e no desenvolvimento de habilidades que os conduza a solução de problemas e dificuldades, ensinando procedimentos a adotar em situações de emergência ou quando ocorrem eventos inesperados, como também as primeiras noções de habilidades vitais essenciais, como dizer não e pedir ajuda.

Fotos: Valéria Cuter