“Mais Educação” inova ensino nas escolas municipais

Permanecer em sala de aula duas vezes por semana, no contraturno escolar, não tem sido um problema para cerca de 1.600 alunos do ensino fundamental de 16 escolas municipais de Botucatu, participantes do Programa “Mais Educação”. O Programa integra as ações do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) como uma estratégia do Governo Federal para a ampliação da jornada escolar e a organização curricular, na perspectiva da Educação Integral.

As atividades, iniciadas em agosto deste ano nas escolas municipais da Cidade, vêm inovando na maneira de transmitir o conhecimento nas oficinas de matemática e letramento. De uma forma mais dinâmica, lúdica e criativa, o programa desperta o interesse e a motivação necessários para melhoria do rendimento desses alunos.

A secretária Municipal de Educação, Alessandra Lucchesi de Oliveira, ressalta que o programa oferece atividades de letramento, matemática, teatro, leitura e produção teatral, banda/fanfarra, atletismo, futsal, xadrez tradicional, vôlei e natação entre outros. “Cada unidade escolar escolhe as atividades que mais se adaptam a seus alunos”, reforça.

Magda Regina Troncarelli, coordenadora do “Mais Educação” em Botucatu, pela Secretaria Municipal de Educação, explica que as atividades são realizadas com 100 alunos de cada unidade escolar divididos em 50 por período. “As atividades são oferecidas para os alunos do segundo ao quinto ano, com faixa etária entre sete e dez anos e que fazem parte do Programa Bolsa Família”, informa.

O “Mais Educação” é realizado nas escolas Angelino de Oliveira, Dr. Cardoso de Almeida, Raul Torres, Professor Martinho Nogueira, Professora Elda Moscogliato, Prof. Raymundo Cintra, Prof. Luiz Carlos Aranha Pacheco Prof. João Queiroz Marques, Prof. Paulo Guimarães, Professor Francisco Guedelha, Prof. Luiz Tácito Virgínio dos Santos, Antenor Serra, Professora Nair Amaral, Dr. João Maria Araújo Júnior, Prof. José Antonio Sartori e Prof. Américo Virgínio dos Santos.

{n}Programa em prática {/n}

A escola Martinho Nogueira foi a primeira a desenvolver as atividades do programa. Na unidade são oferecidas atividades de letramento e matemática por duas monitoras, todas as terças-feiras das 10 horas ? s 12h30 e na parte da tarde das 14 horas ? s 16h30.

Na visão de Silvia Regina Franco Soares, diretora da unidade escolar, o programa teve uma boa adesão, apesar de ser uma novidade. “Os alunos gostam das atividades lúdicas e adquirem outras habilidades como na oratória, expressão corporal e integração entre eles. Aprender por meio da brincadeira é muito interessante”, ressalta.

Na escola Prof. José Antonio Sartori é trabalhando com material dourado e abaco que Rogério Flores de Almeida, um dos monitores voluntários do programa, aplica a matemática a seus alunos. “O uso do material dourado na aplicação das técnicas das operações fundamentais é importante porque as relações numéricas abstratas passam a ter uma imagem concreta, o que facilita a compreensão, o desenvolvimento do raciocínio lógico e um aprendizado bem mais agradável”, comenta.

Da mesma forma, Talita Fragoso de Moraes, estudante de Educação Musical e voluntária da Oficina de Letramento, utiliza o seu conhecimento para ampliar as condições de experiências de letramento, por meio de seus diferentes projetos, oficinas ou de outras formas de trabalho com as múltiplas linguagens disponíveis. ”Através da música apresentamos diferentes situações que envolvem a fala, a escrita e a leitura como formas de expressão aos alunos”, afirma.

Com os recursos advindos do programa, a escola investiu em material musical como flauta germânica, partituras, mural musical e kit “Conhecendo a Orquestra”, entre outros.

De acordo com a diretora Maria Conceição Bissoli Degand, nas oficinas de letramento e matemática a proposta da gestão foi proporcionar algo diferente do que os alunos já têm no dia a dia. “A nossa intenção foi apresentar algo inovador para as crianças, passar o conhecimento através de jogos, brincadeiras e músicas. Não como aulas de reforço, mas algo que os motivassem e tem dado muito certo, pois os alunos participam e não perdem as aulas”, frisa a diretora.

As oficinas de matemática e letramento na Escola Sartori acontecem de terça e quinta-feira e os alunos que frequentam as aulas regulares no período da tarde permanecem na escola das 09h30 ? s 17h00 e no período da manhã, das 07h00 ? s 15h00. As refeições dos alunos que fazem parte do Mais Educação são fornecidas pela Merenda Escolar, que recebe um subsídio a parte do Programa.