Vigilância Ambiental registra primeiro caso de raiva do ano

A Vigilância Ambiental em Saúde (VAS), em parceria com o Departamento de Zoonoses da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), confirmou nesta terça-feira (17) o resultado positivo de exame para diagnóstico de raiva de um morcego encontrado na Vila Carmelo, região Norte de Botucatu. Trata-se de um morcego insetívoro, ou seja, que se alimenta de insetos. Este é primeiro caso positivo de raiva em morcego deste ano na Cidade. Ao longo de 2013 foram dois casos.

Por este motivo cães e gatos residentes na região da Vila Carmelo (incluindo parte da Vila dos Lavradores e Jardim Paraíso), que não foram vacinados na última Campanha Antirrábica (setembro/2013), devem ser levados aos postos permanentes de vacinação na Secretaria de Saúde (Rua Major Matheus, nº 7 – Vila dos Lavradores) e no Canil Municipal (Avenida Itália, s/nº – Lavapés) para que sejam imunizados até o dia 30 de junho. Estes postos funcionam de segunda à sexta, das 7h30 às 16h30.

 

Orientações

Em Botucatu, mais de 80% dos morcegos se alimentam de insetos ou frutas. Ainda assim, seres humanos e seus animais domésticos devem evitar contato com morcegos que podem morder caso se sintam ameaçados.

“Sabemos que cães e gatos podem se infectar entrando em contato acidental com um morcego positivo, por isso, manter os animais imunizados é de fundamental importância”, reforça Rodrigo Iais, diretor do Departamento de Planejamento de Serviços em Saúde de Botucatu.

Ao encontrar um morcego caído a pessoa deve isolá-lo, colocando um balde ou caixa de papelão em cima dele e entrar contato com a equipe da Vigilância Ambiental em Saúde (150) ou pelo plantão da Guarda Civil Municipal (199). Caso o morcego entre na residência, deve-se apagar as luzes, abrir as portas e janelas para que ele encontre a saída sozinho.

A campanha anual de vacinação contra a raiva em cães e gatos está programada para ocorrer de 4 a 12 de setembro. A meta é vacinar 22,1 mil cães e 3 mil gatos. Em Botucatu o último caso de raiva em cães foi registrado em 1985.