Vigilância Ambiental avalia infestação do mosquito da dengue

A Vigilância Ambiental em Saúde (VAS) esteve realizando no mês de julho a atividade de Avaliação de Densidade Larvária, ou seja, o “Índice de Breteau”, que consiste na avaliação dos níveis de infestação de Aedes Aegypti, (mosquito da dengue) no Município e também do comportamento da população quanto ? disponibilidade de criadouros. Com esses dados é possível planejar atividades direcionadas ao controle dos mesmos.

De acordo com a equipe da VAS, o índice em Botucatu foi de 0,56, isto é, a cada 100 imóveis 0,56 possuíam recipientes com larvas do mosquito transmissor da dengue. O índice considerado como satisfatório pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de até 1,0.

“Isso é fruto do intenso trabalho de combate ao mosquito transmissor realizado no período de abril a julho, onde os agentes de saúde pública, vinte que foram contratados por caráter emergencial e vinte que fazem parte do quadro efetivo, realizaram 33.695 visitas voltadas para o controle do Aedes, 40% a mais em relação a 2009”, conta o supervisor da VAS, Valdinei Moraes Campanucci da Silva.

A Vigilância Ambiental orienta a população botucatuense a continuar atenta, não deixando recipientes que possam acumular água parada e limpa, onde o mosquito transmissor da dengue se prolifera. A quaisquer sintomas como febre alta, dor de cabeça, dores musculares, a pessoa deve procurar orientação médica e não se automedicar.

{n}Um pouco sobre a dengue{/n}

A dengue é uma virose, ou seja, uma doença causada por vírus. O vírus é transmitido para uma pessoa através da picada da fêmea contaminada do mosquito Aedes Aegypti.
Um ovo de Aedes Aegypti pode sobreviver em ambiente seco por aproximadamente 400 dias. Se neste período ele entrar em contato com água, poderá gerar uma larva e, em seguida, o mosquito. A dengue não é transmitida de pessoa para pessoa, nem mesmo através de alimentos ou uso de objetos. A doença pode se manifestar de duas formas: a dengue clássica e a dengue hemorrágica.

{n}Dengue Clássica: {/n}os sintomas são mais brandos. A pessoa doente tem febre alta, dores de cabeça, nas costas e na região atrás dos olhos. A febre começa a ceder a partir do quinto dia e os sintomas, a partir do décimo dia. Neste caso, dificilmente acontecem complicações, porém alguns doentes podem apresentar hemorragias leves na boca e nariz.

{n}Dengue hemorrágica{/n} (ocorre quando a pessoa pega a doença por uma segunda vez): neste caso a doença manifesta-se de forma mais grave. Nos primeiros cinco dias os sintomas são semelhantes ao do tipo clássico. Porém, a partir do quinto dia, alguns doentes podem apresentar hemorragias em vários órgãos e choque circulatório. Pode ocorrer também vômitos, tontura, dificuldades de respiração, dores abdominais intensas e contínuas e presença de sangue nas fezes. Não ocorrendo acompanhamento médico e tratamento adequado, o paciente pode falecer.

No verão essa doença faz uma quantidade maior de vítimas, pois o mosquito transmissor encontra ótimas condições de reprodução. Nesta estação do ano, as altas temperaturas e a grande quantidade de chuvas aumentam e melhoram o habitat ideal para a reprodução do Aedes Aegypti: a água parada.

Lata, pneus, vasos de plantas, caixas d’água e outros locais deste tipo são usados para fêmea do inseto depositar seus ovos. Outro fator que faz das grandes cidades locais preferidos deste tipo de mosquito é a grande quantidade de seu principal alimento: o sangue humano. Como não existem formas de erradicar totalmente o mosquito transmissor, a única forma de combater a doença é eliminar os locais onde a fêmea se reproduz.

{n}Dicas de ações: {/n}

– Não deixar a água se acumular em recipientes como, por exemplo, vasos, calhas, pneus, cacos de vidro, latas e etc.
– Manter fechadas as caixas d’água, poços e cisternas
– Não cultivar plantas em vasos com água. Usar terra ou areia nestes casos.
– Tratar as piscinas com cloro e fazendo a limpeza constante. O ideal é deixá-las cobertas ou vazias quando não for usar por um longo período.
– Manter as calhas limpas e desentupidas
– Avisar um agente público de saúde do município caso exista alguma situação onde há o risco de proliferação da doença.

{n}Tratamento:{/n}

Para o caso da dengue clássica, não existe um tratamento específico. Os sintomas são tratados e recomenda-se repouso e alimentação com muitas frutas, legumes e ingestão de líquidos. Os doentes não podem tomar analgésicos ou antitérmicos com base de ácido acetilsalicílico (Aspirina, AAS, Melhoral, Doril, etc.), pois estes favorecem o aparecimento e desenvolvimento de hemorragias no organismo.
Já no caso mais grave da doença, a hemorrágica, deve haver um rigoroso acompanhamento médico em função dos possíveis casos de agravamento com perdas de sangue e choque circulatório.