VAS faz nebulização contra a dengue no Jardim Continental

A Vigilância Ambiental em Saúde (VAS) de Botucatu promoveu nesta terça-feira (29) nebulização em residências, terrenos e pontos comerciais na Avenida João Batista Carnietto e ruas adjacentes, no Jardim Continental, região Norte. A atividade de aplicação de inseticida se deve ? identificação de um caso importado de dengue, contraída por uma moradora do bairro. A pessoa, uma mulher de 31 anos, foi infectada pela doença na cidade de Praia Grande, litoral do Estado de São Paulo. Em outra ação, realizada semana passada no Jardim Continental, foram encontrados alguns focos de larvas e potenciais criadouros do mosquito aedes aegypti .

“A nebulização foi necessária neste caso porque trabalhamos com a hipótese de um mosquito ter picado esta pessoa infectada e iniciado um ciclo de transmissão da doença. Este é um serviço que controlamos ao máximo ser feito, uma vez que o uso indiscriminado de inseticidas pode fortalecer a resistência do inseto”, esclarece Valdinei Moraes Campanucci da Silva, supervisor de serviços de saúde ambiental e animal.

Nas atividades de nebulização realizadas em Botucatu os agentes da VAS recomendam que os moradores e seus respectivos animais domésticos permaneçam foram de suas residências pelo tempo mínimo de 15 minutos, deixem portas e janelas abertas, retirem roupas do varal e cubram utensílios domésticos. “O produto não é prejudicial ao ser humano, pois tem uma concentração baixa de veneno. Ele age somente no momento da aplicação dentro do estabelecimento ou casa, onde o mosquito tem o hábito de permanecer, não tendo uma ação residual”, argumenta Campanucci.

Em 2013, até o momento, a VAS recebeu 14 casos suspeitos de dengue, que aguardam análise laboratorial. No ano passado foram 114 casos suspeitos e cinco importados confirmados e a orientação é que toda pessoa que apresentar sintomas clássicos de dengue como febre alta, dores de cabeça, dor no fundo dos olhos, dores musculares, cansaço, indisposição, devem procurar atendimento médico. O profissional de saúde, ao suspeitar da doença, irá notificar o fato, e as ações de combate ao mosquito será iniciada para se evitar a transmissão da doença.